sexta-feira, 20 de abril de 2007

Cafés por favor!

Com a quantidade de desempregados licenciados, talvez esteja na altura de ponderar a frequência de um curso universitário. De acordo com os últimos dados do IEFP verifica-se uma subida de 17,1% no número de desempregados com altas habilitações literárias.

É notório que profissões como Calceteiros, Carpinteiros e Canalizadores estejam cada vez mais em vias de extinção. Quem não tem saudades de ver um Canalizador acocorado, com metade do rabo de fora das calças enquanto procede à substituição das tubagens?

Já agora, se tiverem tempo passem pelo site www.canalizadores.com.pt e desfrutem das informações sempre úteis da panóplia de serviços prestados por Jaime Duarte Canalizadores e Esquentadores, ao som de “All for Love” de Brian Adams, versão Xilofone. Sem paralelo!

Mas o intuito destes parágrafos visa alertar o crescente número de desempregados licenciados e sugerir um curso de Formação de Formadores na área da preparação de Cafés. Com a quantidade de Cafés e Snack-Bares existentes por esse Portugal fora, é comum encontrar funcionários periclitantes, com um pedido mais complexo como por exemplo: “Um café pingado em chávena quente.”

Desta forma e dada a complexidade da matéria, deixo-vos com o Plano de Formação a apresentar no Instituto de Emprego e Formação Profissional:

Dia 1 – Café Normal

Dia 2 – Café Curto

Dia 3 – Café Cheio

Dia 4 – Café Curto/Cheio em chávena aquecida/fria

Dia 6 – Carioca/Carioca de Limão

Dia 7 – Italiana

Dia 8 – Descafeinado

Dia 9 – Abatanado

Dia 10 – Café com cheirinho

Dia11 – Café pingado

Dia 12 – Café sem pingo

5 comentários:

Ella Vampyr disse...

Com todas estas complicações, e falo por experiência própria, penso que antes de se começar a exercer a profissão de "empregado de mesa", deve ter-se uma semaninha de formação...Isto é preciso estaleca.

Ella Vampyr disse...

empregado de balcão, corrijo!

David disse...

Tal como na formação académica, através de pós-graduações, mestrados e doutoramentos (mesmo para desempregados faz a diferença: antes Mestre ou Doutor no desemprego que licenciado desempregado), a formação profissional tem que oferecer produtos de diferenciação, que permitam aos seus formandos destacarem-se dos demais.

Para tal, proponho o seguinte plano:

Dia 13 – Italiana curta 1
Dia 14 – Italiana curta 2

Anónimo disse...

E quem serve os simbalinos??Talvez ainda não haja MBAs nessa nobre profissão.Sim porque para servir um simbalino não pode ser qualquer um...Lino

Sergei disse...

Opah... se isto vai avante tenho de começar a beber cafés, senão perco o comboio da evolução. Já me estou mesmo a ver todo estiloso a inaugurar nas lides da cafézada: "Muito boa tarde. É um cappuccino, se faz favor. Sin moho."

Abração, S do P do ock