segunda-feira, 27 de abril de 2009

Férias

A felicidade parece residir no ócio, diz Aristóteles...

Concordo...pelo menos até ao próximo dia 04.05.2009.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Perspectivas

Depois de documentarem os últimos dias de vida de uma pseudo-celebridade, os ingleses continuam a inovar. Desta vez oferecem um milhão de dólares a uma dona de casa escocesa de 47 anos (ainda virgem), para participar num filme para adultos.

Susan Boyle participou no Britain’s got Talent, um concurso de talentos e surpreendeu toda a gente com a sua espantosa voz. Mas os seus atributos físicos ficam-se pela voz…verdade seja dita. Todavia, a indústria porno como qualquer outra actividade que visa o lucro também tem que se reinventar e nada como oferecer uma pipa de massa a uma senhora que passava bem por mãe do nosso amigo de infância, para se despir e realizar algumas cenas que entre outras envolvem posições com nome de números ímpares.

Mas pensando bem, esta história de catapultar para o estrelato ilustres desconhecidos já existe em Portugal há algum tempo. Quem não se lembra da primeira cena de violência doméstica transmitida para a televisão nacional? Aquele low kick do Marco no Big Brother antecipava alguns catapultanços para o estrelato.

Outro episódio memorável foi a rixa entre Companhia e Batatinha, dois palhaços de renome na nossa praça, em directo e com uma plateia repleta de crianças que assistiam incrédulas ao combate entre os entertainers e ouviam os ribombar dos vernáculos proferidos pelos palhaços …Foi talvez a primeira cena bullying transmitida em directo.

Depois disso, só mesmo o Vasco Pulido Valente vs Manuela Moura Guedes.

Resumindo, os ingleses não estão tão à frente quanto pensava inicialmente, afinal de contas é só mesmo uma questão de perspectiva.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Valeu a Pena..

Tirando a excruciante vontade de urinar que me assolou durante o trajecto até ao Pavilhão dos Lombos em Carcavelos (que quase me fez saltar do carro dos pais do miúdo ruivo, em plena Marginal) e alguns problemas de som, o concerto d’O Rappa foi perfeito.

O ambiente era pura festa, ao melhor estilo brasileiro, com muito funk a anteceder a subida ao palco banda do Rio de Janeiro. A “decorar” todo o pavilhão havia brasileiras mulatas, loiras e morenas de alto calibre que intimidam as mulheres e fazem sonhar a generalidade dos homens.

Minutos antes do inicio do concerto tive a oportunidade de conhecer o manager da banda, Valdir Rodrigues (um senhor impecável, paciente e extremamente simpático) que me possibilitou conhecer o baixista da banda – Lauro Farias e o vocalista, o calmo e também muito afável Marcelo Falcão. Com muita pena minha não foi possível levar o pessoal a conhecer alguém que ultimamente tem estado a tocar quase ininterruptamente nos nossos rádios, iPods e computadores.

Retribuí a simpatia com uma garrafa de Duas Quintas e um cachecol de Portugal, para marcar a presença deles neste rectângulo desenhado na Península Ibérica.


A setlist teve um reportório abrangente que percorreu a sua discografia, com maior incidência no último álbum, 7 vezes. Ao longo de todo o concerto foram várias as vezes que o público (97% de brasucas) entoou em uníssono as letras de Me deixa, Rodo Cotidiano, A Minha Alma, Monstro Invisível, Hey Joe, Pescador de Ilusões, e por aí alem…Só faltou mesmo a Farpa Cortante.


No final, pudemos todos dizer: Valeu a pena…Valeu a pena.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

O Homem-Invisível

Existe um novo super herói na cena actual de Portugal. Trata-se do Homem Invisível. Os seus poderes permitem-lhe passar impune, aliás invisível, a toda e qualquer situação em que a sua eterna liberdade seja posta em causa.

Muitos vilões tentaram, de forma ineficaz, derrota-lo, mas a sua arte e engenho torna-o invencível. Os vilões fazem parte de uma seita cujo principal objectivo é capturar este tipo de herói e encerra-los em celas, sem direito às regalias inerentes e indispensáveis à sua condição de predestinado. Porém em vão… À sua organização dão o nome de Ministério Publico.

Na última tentativa de capturar o Homem-Invisível, organização denominada Ministério Publico voltou a falhar. O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, vulgo Homem-Invisível, foi ilibado no chamado "caso do envelope", o mesmo acontecendo com o empresário António Araújo e o árbitro Augusto Duarte, os ajudantes do nosso Herói. O caso estava baseado em declarações feitas por Carolina Salgado, a arqui-rival .

Em causa estava um alegado suborno de 2500 euros que teriam sido dados a Augusto Duarte relativo ao encontro entre o Beira-Mar e o FC Porto da época 2003/04 e que terminou empatado a zero, suborno que teria sido entregue na casa do dirigente portista.

Mas mais uma vez as suas fabulosas capacidades possibilitaram que a sua liberdade continuasse inviolável e os seus actos impunes, aliás invisíveis.

Afinal ele é o Homem-Invisivel, aliás o Pinto da Costa.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Olá!

Já faz tempo que esta taberna online não é actualizada. Mas a preguiça tem-se sobreposto a todas as incursões que faço pelo Word, que nos últimos tempos, invariavelmente acabam com uma página completamente alva.

Obviamente que motivo não é falta de assunto, pois na verdade todos os dias há indivíduos de extrema-direita com acesso a documentos que implicam o primeiro-ministro em eventuais situações de corrupção e fraude, todos os dias há histórias de padres que se recusam baptizar jovens católicos com o nome de Lucilio, todos os dias há homens “de esperanças” e prestes a darem à luz pela segunda vez…

Mas enfim, a nossa vida seria bastante cinzenta para vivermos sem estas pérolas.

Durante esta ausência, tive a oportunidade de conhecer o autor do blog Avozinha, um tipo alto bem-parecido, bonito mesmo.... mas que de vez em quando deixa-se levar pelo cliché da crise e como a gasolina está cara, mesmo tendo um carro a gasolina atesta-o com gasóleo…Mas Herrar é Umano. (se o erro for ao contrário a piada da crise não resulta muito bem).

Também durante esta ausência, tive a oportunidade de ouvir algumas barbaridades particularmente anedóticas, como por exemplo que Barack Obama era o Anti-Cristo. Ora se Barack Obama é o Anti-Cristo eu converter-me-ei ao Anti-Cristianismo e se formos muitos talvez possamos criar uma nova religião, talvez até mesmo um papa que nas suas viagens pelo continente africano não diga disparates como o Pastor Alemão.

Termino estas linhas com uma frase que está inscrita numa parede da Graça:

“Troco Magalhães por Playstation.”