terça-feira, 29 de setembro de 2009

Supintus Desarrumadus

Existem características que habitualmente são intrínsecas aos seres do sexo feminino. Falo-vos da sensibilidade, o tacto e (o aspecto que eu quero aqui focar) a arrumação.

Não é de estranhar quando um homem deixa uma toalha de banho molhada em cima da cama, umas meias no centro da sala ou um par de sapatos na cozinha – ressalvo que estes exemplos são completamente aleatórios e nada têm a ver com a minha pessoa. O mesmo se aplica á existência de gavetas tão desarrumadas que fazem corar a Zara do Freeport em época de saldos.

No entanto, descobri um espécime do sexo feminino que reúne todas estas particularidades e mais algumas. Encontrar um par de meias ou umas cuecas numa das suas gavetas é talvez mais difícil que localizar um dinamarquês no seio de uma tribo Masai no interior do Quénia.

Esta espécie em vias de extinção tem o seu habitat natural no Chão Duro, nos arredores da Moita, alimenta-se de tudo um pouco e tem como bebida de eleição Vodka Red Bull.

Numa recente expedição ao seu meio ambiente, tive a oportunidade de constatar e documentar o seu peculiar e altamente desorganizado modo de vida. O seu progenitor há muito que desistiu de incentivar a arrumação das suas gavetas.

Assim, se a genética estiver correcta será natural que no futuro deixe de ser uma espécie em vias de extinção, pois as suas crias carregarão nos seus genes os cromossomas da desarrumação.

Ficam as fotos que consubstanciam a minha teoria e consequente investigação….


quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Mano Pródigo

Na semana da festa quiçá mais aclamada do universo, dá-se o terminus da hibernação dos muitos que passam o ano a aguardar até terem finalmente um motivo para sair de casa, bem como o regresso às origens dos que espalham a boa nova por outras paragens.


Ora numa festa que assenta numa homenagem religiosa, é normal que eu começasse a associar os que regressam ao lado sagrado da questão…


Foi quando me lembrei de uma parábola, que às tantas julguei aplicar-se a um dos “filhos”cá da terrinha. Seja pela associação de algumas passagens aos sorrisos gerados ao revê-lo, seja pelas desventuras ocorridas durante o seu regresso.
Vejamos:


“…ajuntando todos os seus haveres, o filho mais jovem partiu para uma região longínqua e ali dissipou sua herança numa vida devassa.” – Aplica-se na perfeição, só tendo como ligeira diferença que a distância se limita à travessia de um rio, e que na manhã seguinte é que se percebe o saldo despendido durante a devassidão festiva.


“Ele estava ainda ao longe, quando seu pai (neste caso os amigos) viu-o, encheu-se de compaixão, correu e lançou-se-lhe ao pescoço, cobrindo-o de beijos” – Aplica-se, principalmente porque o

ola que não falta nesta data são os peritos em lançamento do beijo ao pescoço, sendo que em média 70% dos "saltos" falham o alvo e acabam na roulotte da Cristina.


“… trazei a melhor túnica e revesti-o com ela, ponde-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés.” – Aplica-se, mas claro que depende do estado alcoolizado do personagem e da diabrura que os amigos se lembrem de fazer. O anel depende do deboche que eventualmente se possa proporcionar durante a noite.


“Trazei o novilho cevado e matai-o (esta parte aplica-se aos cachorros quentes do Quim, e as churrascadas); comamos e festejemos, pois este meu filho estava morto e tornou a viver; estava perdido e foi reencontrado!’ E começaram a festejar.” – Aplica-se, sendo que muitas vezes o percurso é inverso, ou seja, o personagem passa a sentir-se perdido (as minis e o “wiki” não perdoam), e quanto a reencontrá-lo só se for umas horas depois num certo bar de Karaoke. Mas isso somente gera uma maior vontade geral de festejar.

Hábil a delegar a sua máquina fotográfica pelas mais diversas mãos e situações comprometedoras, recolhe imagens que lhe permitem no dia seguinte fazer a cronologia dos acontecimentos passados, recolhendo material que lhe permite através de chantagem recuperar o saldo gasto na devassidão.

Caso queiram encontrar este mano pródigo, é só questão de procurarem qualquer aeroporto, ou pista de corridas cá pela terra. É que tanto pode andar de braços abertos pela rua a ensaiar um voo picado, como a dar à s

no meio de uma largada de touros com uma grade de minis na mão.

Benvindo. ;)


PS: caso o encontrem em situação "grade", é normal que esteja a partilhar o peso com um candidato a músico. Consta que este ultimo, por motivo do esforço despendido, faz sessões de terapia de recuperação dos pulsos, com base numa técnica que consiste em transformar um copo em reco-reco... :P


segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Festas da Moita

Como nem tudo é trabalho..eis que ele tira três dias e se desloca para a margem sul do rio Tejo para as festividades de uma localidade única..a Moita..

Sim..férias na Festa da Moita...

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Woodstock

Portugal é um país cheio de particularidades. Os muitos quilómetros de extensão são pródigos em idiossincrasias no que toca à “tipologia” das pessoas. Estas linhas não são, de maneira alguma, uma crítica, mas sim um elogio às diferenças e às singularidades do território…~

Educar é um trabalho que exige o melhor de nós (salvo seja) enquanto pais. Oferecer tangas, (esse objecto que, nós homens, tanto prezamos) às filhas é algo que vejo como um acto de carinho…vá…e também de alguma ousadia e arrojo. Disponibilizarmos cinco litros de uma bebida espirituosa para a comemoração de uma ocasião especial da mais nova das suas crias...bom, não é propriamente mau…é talvez um sinal abertura de horizontes e crença na ideia que a cria… não bebe. Afianço que é altamente improvável.

Cada vez mais os pais estão mais próximos dos filhos (em todos os sentidos) e é importante não se distanciarem do dia-a-dia dos seus rebentos. O facto de os jovens saírem cada vez mais tarde de casa contribui bastante para isso. Os pais estão cada vez mais envolvidos nas vivencias dos filhos e participam de forma activa nas mesmas.

As ideias (e as roupas) hippies proporcionam aos filhos uma visão positiva, embora utópica, do mundo, o que faz com que os jovens, leia-se filhos, consigam passar valores como a partilha, o respeito pelo próximo, a liberdade de pensamento e a igualdade sejam valores que devem ser tomados como essenciais para a formação do carácter do ser humano.

Pala, Pinhel e o festival de Woodstock, unidos pelos ideais…

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Big Brother

A informação é controlada e não podemos fazer nada em relação a isso. Existe uma bigbrotherização de todos os mecanismos de comunicação existentes.

Há dias numa troca de mensagens por telemóvel, aconteceu algo que considerei inesperado.

Segundos após de ter pressionado a tecla para Enviar o SMS, recebo uma mensagem de texto da TMN com (mais ou menos) as seguintes palavras: “Erro de sintaxe. O texto que enviou contem erros. Verifique e envie novamente”. Li e reli (incrédulo) a mensagem que acabara de receber. Pensei: será que esta operadora móvel tem um serviço de correcção ortográfica, que desconheço, que controla mensagens de texto que contenham erros? Será que o governo está empenhado em contribuir para uma redução nos erros ortográficos - e no Meu caso particular, de Sintaxe – da população? Progredimos em direcção a uma sociedade que não nos deixa dar erros ortográficos, mas que permite crimes de colarinho branco?

Intrigado, ligo para a operadora e questiono o motivo desta mensagem tão inusitada, alegando que era uma total invasão da privacidade do cliente e que me indicassem qual a melhor forma para registar uma reclamação. Por esta altura, o assistente não só estava a pensar que eu não tinha vida própria, pelo teor do meu contacto, como também exasperava sem respostas objectivas…Questionei-o sobre a legitimidade da TMN em corrigir os meus textos e afirmei que se me desse na real gana escrevia mensagens de trás para a frente ou com K’s e X’s e que mesmo assim não nada poderiam fazer. O assistente continuava desesperado e eu depois de um dia de trabalho estava sem a mínima paciência para ouvir aquela cassete e acabei por desligar sem uma resposta digna desse nome.

A minha teoria é: como não se consegue manter os nossos alunos nas escolas até completarem a escolaridade mínima, engendra-se uma estratégia pedagógica invasiva controlando e corrigindo o conteúdo das mensagens enviadas…

Rebuscado, mas pode ser que resulte.

Por descargo de consciência, acedi às mensagens enviadas e consultei o SMS que havia enviado não encontrando qualquer erro.

Aos meus amigos professores e não só...

Galardoado com a Palma de Ouro em Cannes, o filme “A turma”, espelha a multietnicidade da população francesa actual e uma visão fascinante dos dilemas complexos e das faltas de comunicação que o ensino e a aprendizagem colocam. Numa altura em que muito se discute a posição dos professores em Portugal, este filme mostra-nos os desafios de um professor optimista, crente nos alunos e nas suas particularidades e principalmente que a Educação é muito mais daquilo que está nos livros.

Um excelente filme.