quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Delfins

A qualidade de um músico é tida em consideração com base numa série de características que os tornam únicos, sendo que não basta ter um corpo são, dois palmos de cara e a capacidade de saber movimentar o corpo coordenadamente, ou, num termo mais prosaico: dançar (verbo que não sei conjugar).

Contudo, actualmente, cada vez mais são estes os requisitos indispensáveis para construir uma carreira. Às vezes, carreiras construídas solidamente, com apenas uma única musica. São denominados os “one hit wonders”. Como por exemplo: o Flat Beat do Mr Oizo (lembram-se do peluche amarelo do anúncio da Levi’s?) ou o Because I Got High do Afroman, música que relatava o quão baixo uma pessoa pode chegar com o consumo excessivo de Cannabis e por último, o inevitável Vanilla Ice com Ice Ice Baby que não carece de adjectivos.

A “máquina” de marketing que está por trás de artistas como o Will I Am (membro dos Balck Eyed Peas) ou da Rihanna, a meu ver, é simplesmente fabulosa. Penso que os produtores destes dois artistas são autênticos génios. Vou mais longe, com produtores deste calibre, em dois anos (ou talvez menos), o esquecido Zé Cabra era gajo para ganhar quatro ou cinco Grammies e não estou a falar dos Latinos.

Consideremos a letra de um hit de Will I Am: a música chama-se “I Got it from my mom”, que traduzindo é qualquer coisa como “Herdei-o da minha mamã”. Mas vamos até ao refrão:

“Baby where’d you get your body from?
Tell me where’d you get your body from.
Baby where’d you get your body from?
Tell me where’d you get your body from.
I got it from my mama.
I got it from my mama.”

Tradução:
Querida, onde é que foste buscar esse teu corpo
Diz-me onde foste buscar esse teu corpo
Querida, onde é que foste buscar esse teu corpo
Diz-me onde foste buscar esse teu corpo
Herdei-o da minha mamã
Herdei-o da minha mamã

Temos aqui um exemplo de como a criatividade e capacidade lírica dão corpo e profundidade a uma música. Mas passemos agora à Rihanna: titulo da música: “Umbrella” ou em português “Sombrinha”. O refrão:

"When the sun shines
We’ll shine together
Told you I'll be here forever
Said I'll always be your friend
Took an oath
I'mma stick it out 'till the end
Now that it's raining more than ever
Know that we still have each other
You can stand under my Umbrella
You can stand under my Umbrella."

Agora em português:

Quando o sol brilhar
Brilharemos juntos
Disse-te que estarei aqui até ao fim
Disse-te que seria sempre tua amiga
Jurei que
Aguentaria até ao fim
Agora que chove mais do nunca
Agora que ainda nos temos um ao outro
Podes ficar debaixo da minha Sombrinha
Podes ficar debaixo da minha Sombrinha

Voltem Delfins, estão perdoados!

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Cimeira União Europeia/Russia

Ao questionar a minha Bicha como lhe corria a manhã, ela, devido ao trânsito caótico da cidade de Lisboa responde-me: QUE STRESS LOGO DE MANHÃ COM O TRÂNSITO…FILHA DA PUTIN!

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Obras



Alvaro Siza Vieira
Antoni Gaudí
Frank Gehry
Frank Lloyd Wright
Zaha Hadid
Julia Morgan
Marion Mahony Griffin
Denise Scott Brown
Susan Torre

Nesta lista de Ilustres e Famosos Arquitectos e Arquitectas, notabilizados por obras como o Pavilhão de Portugal, o Museu Guggenheim em Bilbao, a fachada da Sagrada Família, ect.. nenhum deles realizou ou realizará uma obra-prima que está apenas ao alcance dos arquitectos/as predestinados.

Falo-vos de um/a filhote/a que está a caminho, realizado pela Arquitecta mai linda da Moita e arredores e pela sua “Lua-metade”: Mike.

Muitos parabéns aos papás Sónina e Mike!!

domingo, 21 de outubro de 2007

Fim de Semana na Moita

Gosto das conversas com o meu irmão.

Gosto de conhecer pessoas sensatas.

Gosto de ajudar os meus amigos nas obras de suas casas.

Gostava de não ter deixado cair o meu Ipod nas obras das casas dos meus amigos.

Gostei muito do jogo de basquetebol.

Gosto de botas de basquet com fita-cola.

Gosto de uma cerveja com os amigos ao fim da tarde.

Gosto de jantaradas na casa do Spock.

Gosto dos pais do Spock.

Gosto de anedotas de porcos com perna de pau.

Gosto de encontrar a minha Bicha ao jantar, aliviada com o regresso de Fátima, e sentir o cheiro bom do seu perfume suave.

Gosto dos meus Amigos.

Gosto mesmo!

Gosto de reparar como os meus amigos se mimam uns aos outros.

Gosto dos Primos dos Pais do Miúdo Ruivo, ainda que não os tenha visto neste fim-de-semana.

Gosto de hambúrgueres ao fim da noite, com tipos que só existem a essa hora.

Gosto de ver a minha amiga Su a assustar-se a dançar Tarrachinha e a pedir para dançar como nos bailes de Carnaval.

Gosto de almoços na esplanada.

Gosto de um Muralhas fresco.

Gosto do atendimento do restaurante O Cais.

Gostava que o joelho do Diogo sarasse de vez.

Gosto de ouvir a voz alegre da minha mana que está em Itália.

Gosto de ir à Moita.

sábado, 20 de outubro de 2007

O Génio

No jornal Público de dia 19.10.2007, foi publicada uma notícia que dá conta de umas afirmações de um cientista de renome, chamado James Watson, que afirma que os Negros são menos inteligentes que os Brancos.

Pois bem, cabe-me a mim, enquanto Negro, provar que este ilustre cavalheiro não podia estar mais errado. Assim, apresento-vos uma série de provas, das mais variadas áreas, que nós Negros somos tão inteligentes quanto os Brancos:

Prova n.º 1 - Cálculo Matemático: 2 + 2 = 7

Prova n.º 2 - Geometria: O Triangulo é uma forma geométrica de 6 lados.

Prova n.º 3 – Cultura Geral: Winston Churchill foi ponta-de-lança do Nápoles em 1980.

Prova n.º 4 - Música: Mozart nasceu na pequena freguesia de Alhos Vedros foi ex-baixista do Quim Barreiros, mas por questões pessoais abandonou a Banda e juntou-se aos Megadeth.

Prova n.º 5 – Medicina: O primeiro médico a realizar uma Lobotomia foi o Dr. House.

Bom, tendo em conta as provas anteriormente apresentadas, julgo que este senhor é realmente um génio. Todavia e como negro (claramente com um défice intelectual), tenho uma questão e peço desculpa, se estiver a chatear( porque sou burro):

Qual a relação entre a cor da pele e as capacidades cognitivas de um ser humano?

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

A resposta à adivinha é:

a sempre em lágrimas Lucia Moniz.

É impressionante! Sempre que estou a fazer zapping,, durante horário nobre, quando passo na SIC, invariavelmente vejo a Lucia Moniz a chorar.

Ou é por dor (emocional ou fisica), ou é de alegria. Às vezes até chora sem ser necessário...Interiorizou de tal forma a personagem mártir, que em cenas tão banais como comprar um jornal ou lavar a loiça, lá está a Lucia Moniz  a chorar.

"- snif snif...É o Correio da Manhã e a Maria por favor..."

"- snif snif...este detergente deixa a loiça num brinco..snif snif.."

(os snifs são sempre aos pares?)

Pronto Lucia...Já passou!

  

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Dois Pesos e Duas Palavras

Comemora-se anualmente, no dia 24 de Outubro, o Dia do Exército Português, data em que se celebra a tomada de Lisboa, em 1147, pelas tropas de D. Afonso Henriques, Patrono do Exército. Este ilustre militar, diferenciava-se entre os demais, pelo seu acurado sentido de estratégia, liderança e principalmente a capacidade inata de perceber português.

Tendo em conta esta efeméride e o perfil de uma figura tão importante na história de Portugal, julgo ser adequado relatar-vos uma história de alguém que nunca poderia ter sido um líder. Não pela falta de sentido de estratégia e liderança, mas pela incapacidade de perceber a língua materna em situações de stress.

Passou-se nos idos anos noventa. Na altura, o recenseamento militar era obrigatório e se o nome dos mancebos constasse na lista de passagem à reserva territorial publicada nos editais da Câmara Municipal, era sinal que não teríamos bolhas nos pés durante um par de meses, ou que também não iríamos conhecer aquele tipo castiço de Vila Nova de Famalicão que estaria presente em todos os acontecimentos importantes da nossa vida, pois tinha ido comigo à Tropa.”

Assim, esta personagem (actualmente emigrado num país Europeu) é chamada à Inspecção Militar, que nem sempre era vista com bons olhos pelos jovens. A inspecção militar comporta uma série de exames físicos que incluem, um exame oftalmológico, exames de audição, etc. Os recrutas são também medidos e pesados. E foi aqui que o nosso protagonista falhou.

Na altura da pesagem, os Oficias ordenaram ao recruta que se dirigisse para a balança, no sentido de ser (espante-se!) pesado. Espantado com a ordem, o recruta hesita. O Oficial torna a gritar. O recruta permanece estático. O Oficial, no limite da paciência, grita: “BALANÇA CA#%&#$#!!!”

É então que se dá o que não era expectável: a personagem, intimidada com os gritos do Oficial acede ao que lhe é pedido e inicia um movimento oscilante da esquerda para a direita, balançando o seu corpo de um lado para o outro. Houve claramente uma má interpretação do português, o que por vezes acontece…

Quis o destino que o seu futuro não passasse pela carreira militar. Imaginemos que num cenário de Guerra, a este militar era dada a ordem para Disparar…Provavelmente ele gritaria: “Pára!”

Se o D. Afonso Henriques fosse assim, hoje falaríamos espanhol.

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Qual é coisa qual é ela

que numa das séries de ficção/entretenimento de produção nacional, salvo raras excepções, está sempre a chorar?

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Pomp the Jam

“A palavra pompoar ou pompoir é algo como pulsar, com esse movimento, durante o acto sexual o homem sente apertar, soltar, torcer o seu órgão sexual, num jogo amoroso rico e fantástico. Tanto a mulher quanto o homem sentem um aumento muito grande da libido e chegam ao orgasmo com muito mais facilidade além de melhorar a qualidade de seu relacionamento, quando a mulher tem a musculatura vaginal fortificada.”

Pois é…o termo é Pompoar. Por outras palavras trata-se de uma forma de as mulheres ficarem com caparro na vagina, melhorando as suas/nossas vidas sexuais. É algo que pode muito bem revolucionar a nossa, até agora triste, existência enquanto seres humanos. Julgo até, que é na Arte do Pompoar que reside a salvação humana.

A maior parte dos flagelos do Mundo estão relacionados com a ausência de Mulheres que (ainda) não dominam esta destreza. Senão vejamos:

- Se na Irlanda do Norte, as Mulheres católicas praticassem esta Arte, os jovens mortos no Bloody Sunday de 1972, teriam ficado mais tempo em casa leia-se na cama e muito provavelmente até nem iriam à manifestação que originou a sua morte…Eu de certeza que não ia..ainda por cima num domingo, que só me apetece ficar em casa a ver os filmes da TVI.

- Se as Mulheres Judias soubessem pompoar, muito provavelmente os homens judeus teriam preferido instalar-se num local do Mundo onde a hospitalidade fosse algo a ter em conta, como por exemplo em… Punta Cana e não em Israel…e o conflito israelo-palestiniano nunca teria existido.

- Se as Mulheres Africanas dominassem esta Arte, provavelmente que os Políticos Africanos não seriam tão corruptos e por esta altura já o Continente já estaria tão desenvolvido como o Europeu.

- Se a Mulher do Hitler soubesse pompoar, ele talvez não teria morto 5 Milhões de Judeus e as suas teses racistas e anti-semitas não teriam sido postas em prática, dando lugar a um comportamento mais humano e talvez o Woodstock teria tido lugar bem antes de 1969, em Awchevitz, que ficaria ligado a um lindo e livre festival e não a um campo de concentração nazi …Os exemplos não param…

Assim, o que acho é que se deve fazer um Campanha Inter-Continental sem paralelo. À semelhança do Live Aid.

Criar um Ginásio Global para a fortificação vaginal e o fim dos flagelos que nos impedem de estar mais próximos uns dos outros.

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Edredons


Há os que são altos, há os que baixos, há os que são muito altos, há os que são muito baixos. Depois há os outros, os gordos, os magros, os brancos, os pretos, os amarelos e os que têm muito pêlo.

É sobre este tipo de espécime que vos quero falar. Mais propriamente, sobre o querido e prezado amigo Tony Branco Ramos, que terão prazer de conhecer na próximas linhas.

Nascido a 14 de Julho de 1979, desde cedo que os pais viram que estavam perante um fenómeno da Natureza. Aos dois meses, a sua cabeleira fazia corar qualquer membro desse icone musical dos anos 80, os Europe. Os pais, desde logo procederam à abertura de uma Conta Bancária para fazer face às despesas capilares do pequeno Tony Branco Ramos. Felizmente, na nossa solidária e pacata rua, havia uma senhora que de manhã podava as árvores do Parque da Moita e que quinzenalmente não se importava de aparar os tufos do pequeno T.B.R.

Em meados dos anos 80, os pais receberam uma proposta do Vítor Hugo Cardinali, que lhes prometia cento e cinquenta contos, para apresentar o filho num espectáculo circense, no qual faria um número, que habitualmente era desempenhado por um chimpanzé que se encontrava com gripe.

Os pais declinaram a proposta. Nesse ano juntaram cerca de 350 contos com a venda de pêlos do filho para a manufactura de almofadas, numa fábrica em Albarraque.

Aos 8 anos de idade a sua vida mudou. Ofereceram-lhe uma Gillete. Entre os 8 e os 10 anos fazia a barba uma vez por dia, todavia esta rotina não era encarada como algo negativo, pois tinha muitas vantagens. Como por exemplo, o facto de ter de usar after-shave, que lhe permitia ter casos amorosos com miúdas mais velhas (de doze anos) vitimas de paixonetas causadas pelo intenso e hipnotizante odor do Old Spice.

Aos catorze participou no sucesso cinematográfico Família Adams, interpretando uma personagem designada de It. Este papel mereceu a sua total dedicação, pois durante três dias não cortou nem um pêlo para dar um maior realismo à performance. Esteve também no Brasil, onde fazia de duplo do Tony Ramos.

Actualmente é um homem feliz e bastante bem casado. Reside em Monção e no Inverno a sua família não usa edredons de penas.

Eu já encomendei um Edredon de Pêlos.