domingo, 20 de dezembro de 2009

Lisboa, apenas mais uns milhões.

Sua Exa.
Senhor Presidente
Bom dia,

Em virtude das noticias vindas a publico esta semana, mais propriamente no passado dia 15 do Dezembro do presente ano, vejo-me forçado a demonstrar a minha profunda indignação com toda esta situação.
Desde já, gostaria de salientar que não faço parte de nenhuma associação, partido ou movimento de cariz politico ou semelhante. Apenas manifesto e quero deixar esta minha “Carta Aberta”, como simples munícipe desta cidade que vê em larga escala o rumo contrário que a cidade esta a seguir ao do que seria previsto. Onde os sinais que apresenta de progresso são mínimos, bem como os de ruptura com um passado pouco abonatório para com a cidade.
Consciente de toda a complexidade deste processo, não só pela particular e singular posição de como tudo começou mas sobretudo de como tudo foi negociado e adjudicado inicialmente. Tenho por isso que dizer que, é com agrado que vejo que V/Exa. conseguiu alcançar um acordo tendo em vista a redução da indemnização a pagar ao Consórcio. Não sendo bom, é no minimo razoável olhando á sentença inicial. Porém, e é aqui que reside toda a minha indignação e profunda preocupação, não só pelo valor a que a Câmara Municipal de Lisboa se vê obrigada a pagar mas sim pelo factor impunidade e sentimento de irresponsabilidade em toda esta matéria.
Se é verdade que aquando de toda esta embrulhada, V/Exa. ainda não era Presidente da Autarquia, não é menos verdade que o Sr. Vereador Sá Fernandes já ocupava o lugar de Vereador na Câmara Municipal de Lisboa. Ora, e atendendo aos factos relatados e que constam no processo, toda esta confirmada e desconfortável situação com prejuízos avultados para o erário publico e com reflexos no crescimento da divida da Câmara Municipal de Lisboa, foram consequência de uma acção bem definida e não menos bem elaborada por aquele que é agora e já no mandato anterior, um “seu” Vereador, nomeadamente o Sr. Vereador José Sá Fernandes.
Não me cabe a mim julgar quais as interpostas intenções do Sr. Vereador José Sá Fernandes na altura e mais propriamente quando decidiu tomar esta atitude. Reserva-me a mim como simples cidadão olhar á luz dos factos e constatar que este Sr. Vereador José Sá Fernandes, lesou e contribuiu negativamente e nos mais diversos sentidos a Câmara Municipal de Lisboa.
Pergunto, na qualidade de Advogado não saberia o Sr. Vereador José Sá Fernandes as consequências inerentes do seu acto? Não estaria ele consciente das regras do jogo e como isso poderia implicar e ter um impacto negativo para a Câmara Municipal de Lisboa? Que razão ou razões moveram o Sr. Vereador José Sá Fernandes a desencadear todo este processo? Terá ele directa ou indirectamente beneficiado desta situação?
E os interesses máximos da Câmara Municipal de Lisboa, quem os defendeu e os defende perante os José Sá Fernandes de Lisboa?
Assim sendo, gostaria de deixar a V/Exa. algumas questões que se me levantam neste momento. Primeiro saber que consequências directas têm esta situação no âmbito das contas da Câmara Municipal de Lisboa. Saber também qual a posição, considerações e justificações que tem o Sr. Vereador José Sá Fernandes acerca desta matéria. Pois se analisasse-mos tudo isto na esfera do privado, o que seria de um gestor que dá uma prejuízo á sua empresa de 18.5 milhões de euros???. Por fim saber, como V/Exa. pode e consegue manter a sua confiança politica ao referido Vereador. A bem da verdade, não estou e creio que ninguém poderá estar seguro de que tais casos e semelhantes situações não se venham a verificar num futuro próximo.

Grato desde já por toda a atenção dispensada por V/Exa. ,

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Botero

A natureza tem desígnios que nós, os humanos, não conseguimos descodficar…Mas existem outros menos insondáveis como a obesidade.

A Morais Soares, bem no centro de Lisboa, tem uma loja que dada a natureza do seu core business, tem uma perspectiva mais imparcial da sociedade, pois comercializa vestuário para pessoas cuja índice de massa corporal está bem acima do sociavelmente aceite. Com isto não quero dizer que as pessoas tenham que ser magras ou vestir os números que habitualmente não encontramos nos saldos, para serem aceites…de outra forma as Musas de Botero perdiam todo o seu sex appeal…mas a sociedade é cruel para quem é diferente.

E os estabelecimentos comerciais na Morais Soares não são excepção…

Com isto pergunto-vos como se chama a loja para pessoas com peso substancialmente superior ao comum dos mortais (partindo do principio que o comum dos mortais não pesa mais que 75 kg) ? Importa referir que a diferença deve ser tratada com discrição e normalidade…e não com cartolina fluorescente com as letras XXXXL (sim 4 x’s!).

A loja chama-se: Loja Elefante. Discreta, não?

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Terraço Social

Estamos numa era em que as relações quotidianas, sejam elas pessoais, profissionais ou familiares, se regem cada vez mais pelas chamadas Redes Sociais, onde encontramos á cabeça os Facebook´s, Twitter’s, HI5 e outros. Como tal, não podia deixar de lançar a minha visão sobre este fenómeno em analogia a um outro do qual partilho muito mais a minha simpatia….a Amizade.
A bem da verdade todos nós de uma maneira ou de outra já não conseguimos ficar indiferentes a tal Religião ou Seita, se assim quisermos caricaturar a coisa. É ver as fotos, os comentários, os convites, as poses sexy. Enfim um conjunto vasto de argumentos que fazem de nós uns verdadeiros guerreiros sociais, munidos das mais sofisticadas armas verbais e visuais, quais “Ninjas de Shaolin”, na incessante busca do maior número de “Amigos”. É fácil ouvirmos numa qualquer conversa de café… - “…ena pá já adicionei o Cristiano Ronaldo á minha rede…” ou então, “…fogo pá, não tenho tido tempo nenhum para actualizar a minha página…”. Frases como estas ou semelhantes são o espelho de uma nova dinâmica social fortemente implementada que, em toda a sua plenitude quase que nos obrigam a acompanhar a locomotiva impulsionadora de toda esta realidade. Sendo por isso obrigatório a nossa participação sob pena dos nos sentirmos completamente marginalizados quando por exemplo ouves ou falam expressões do género, - “…Meu, já jogaste o Laying Down Game? É pá….bué da fixe...”. Irra esta gente inventa cada coisa…
Em contrapartida a toda esta singular vivência, vejo-me ainda num patamar um pouco mais terra a terra. Cultivo as minhas amizades na base mais rudimentar e tradicional que o ser humano criou. Alimento os laços dessa minha Rede Social com um conjunto de argumentos e métodos em tudo diferentes, nem melhores nem piores aos anteriormente descritos, simplesmente diferentes. Na sua forma, na sua finalidade na sua concretização.
Por esta minha maneira de ser e de estar na vida, e relembrando um pouco o que foi a minha convivência na Urbe de Lisboa, fui periodicamente criando um hábito de convívio salutar. Os jantares no “Terraço de São Bento” para quem já teve a oportunidade de estar presente, testemunhou uma animada e interacção social, por vezes louca confesso, de um grupo de amigos que faz da palavra amizade atingir proporções verdadeiramente assinaláveis.
Assim, foi nesta mesma dinâmica e vontade pessoal que tive a oportunidade de receber no “Terraço de São Bento” num passado recente um grupo de “Amigos Moiteiros” dos quais devo dizer, embora não ligados a mim directamente mas sim ao meu irmão Conguito, encheram-me de enorme alegria com a sua presença. Recorro da minha memória com alguma frequência a esse dia. Através dele vejo e cada vez mais me convenço que é por estes momentos e semelhantes situações que a palavra Amizade ganha outros contornos fortemente reais e nunca virtuais. Estou convicto de que hoje poderei dizer abertamente que me tornei ainda mais amigo daquele grupo de pessoas. Não só pelas conversas, pelos risos e gargalhadas estridentes. Não só por um deles mas sim por todos, até mesmo pela franja da Susana :-) ……a partilha e o estar neste verdadeiro contexto social, criou e deu á minha Rede Social uma nova mais-valia. Não foi preciso adicionar ninguém, actualizar páginas, mandar Smiles, pois a socialização com base na presença física é e sempre será a nossa maior conquista. Embora possa parecer tardio, obrigado a todos pela vossa presença no meu TERRAÇO SOCIAL.

É destes que eu espero que sejas....

PARABÉNS GALINHA!

Mini vs Maxi

A mini-saia no Brasil está para as Mulheres como o bigode em Portugal está para os taxistas. É algo que lhes está intrinsecamente ligado. O episódio da jovem que primeiramente foi vaiada e insultada e posteriormente expulsa de uma Universidade em s. Bernardo do Campo, tem tanto de absurdo como de paradoxal. É como desvirtuar uma dos mais emblemáticos simbolos do Brasil: a Garota de Ipanema.

O Brasil é provavelmente o país do Mundo onde a mini-saia poderá fazer mais sentido. Não só pelas voluptuosas formas das suas negras, mulatas, loiras, morenas, ruivas, cabritas e afins como pelas voluptuosas formas das suas negras, mulatas, loiras, morenas, ruivas, cabritas e afins. É inegável que as mulheres no Brasil são libidinosas e a privação do uso da mini-saia seria como autorizar o uso da burqa no Ocidente (e também no Oriente).

A estudante foi posteriormente readmitida na faculdade, todavia, afirma não ter condições para voltar a encarar os seus colegas mais pudicos, tendo recebido convites de outras Universidades com Bolsas de estudo (e também de indumentária) incluídos. Em Portugal, o Reitor da Universidade do Engate, Zézé Camarinha já veio a publico manifestar o seu total apoio a Geisy, afirmando que: ” a garota é legal, gostosa e como está a estudar Turismo eu posso dar-lhe aulas sobre a região de Turismo do Allgarve e ela pode vir vestida como quiser ... até pode vir pelada”.

Com esta atitude, os estudantes da Uniban (o estabelecimento de ensino em causa) poderão ter comprometido essa grande instituição que é o Carnaval Brasileiro de 2010. Confesso que não me recordo de ver mini-saias no sambódromo, porque as garotas estão um pouco mais desnudadas. No entanto, a ideia de um Carnaval com toda aquela gente tapada até faria sentido… na Lapónia ou então surgirem com um conceito novo...a Maxi-Saia.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Facto

Todos os dias nascem pessoas
Todos os dias morrem pessoas
Todos os dias se casam pessoas
Todos os dias se divorciam pessoas
Todos os dias se apaixonam pessoas
Todos os dias se afastam pessoas
Todos os dias pessoas são corrompidas
Todos os dias pessoas são louvadas
Todos os dias se praticam crimes de colarinho branco
Todos os dias há um homem que paga por sexo
Todos os dias há alguém se sente culpado por se ter masturbado
Todos os dias há alguém que se arrepende de ter dito algo
Todos os dias há palavras que tocam o coração de outra pessoa
Todos os dias há alguém que falta ao trabalho propositadamente
Todos os dias há uma conta por pagar
Todos os dias há alguém que não paga uma conta
Todos os dias há alguém a candidatar-se a um subsídio
Todos os dias há alguém que é despedido
Todos os dias há alguém que é contratado
Todos os dias há um menino que sonha ser o Cristiano Ronaldo
Todos os dias há uma menina que quer ter um acessório da Hello Kitty
Todos os dias alguém reivindica o tempo que perdeu num blog
E chegamos onde eu queria chegar…

A Hello Kitty irrita-me profundamente!

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Pessoas

A entrevista do Mário Crespo ao Lobo Antunes terminou há menos de um minuto…e há pessoas que nos transportam, que nos elevam, que diminuem enquanto seres humanos pois podiamos ser melhores, que nos apaixonam, que nos motivam, que nos emocionam…

A entrevista é uma experiência única para quem gosta de conversar, para quem gosta de ouvir uma boa conversa, para quem gosta de pessoas singulares …

Bravo.

Top Gun

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Gemini

A Natureza humana tem fenómenos curiosos. A possibilidade de um ser humano gerar dois é fascinante. Os Gémeos sempre despertaram em mim um misto de perplexidade, encanto e mistério.

Mas sempre que o tema são Gémeos, não resisto em comentar o facto de os pais vestirem-nos com farpelas exactamente iguais. Como se já não bastasse partilharem as mesmas características físicas, os pais fazem questão de acentuar as mesmas com indumentárias conformes.

Enquanto são crianças até posso compreender porque até fica giro. Mas a partir das 13 semanas de vida dos gémeos, vestir as crianças de igual traduz-se num exercício que pode perfeitamente condicionar a formação da personalidade da criança. É como se estivéssemos a dizer:

És igual ao outro. Não és único.”

Existem alguns casos felizes que optam por não o fazer, mas muitos outros perpetuam a similaridade humana até os filhos saírem de casa…Por norma até aos 35 anos…

”Enquanto morares debaixo deste tecto, vestes-te exactamente igual ao teu irmão!”

“Mas mãe, o mano é travesti e faz espectáculos de transformismo.”

Há ainda os casos em que os gémeos são um casal e aqui a minha perplexidade aumenta, pois o exercício de vesti-los de igual modo é ainda mais transcendente, pois há a necessidade de incorporar nas roupas o cor-de-rosa e o azul…E das duas, uma, ou temos uma Maria Rapaz ou um menino mais efeminado.

A minha sugestão aos pais é simples: deixem-se de paneleirices e celebrem a originalidade e o que é único.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Brites de Almeida

A generalidade das pessoas gosta de uma boa fofoca. É algo que é transversal a todos os estratos sociais. Existe muita gente que gosta de especular sobre a vida alheia e isso é algo que agrada às massas. Há quem faça disso profissão…Catapultados pelos média alguns destes opinion makers (a meu ver não lhes atribuía o anglicismo mas sim um termo mais prosaico como coscuvilheiros/as) julgam-se autênticos Conselheiros de Estado.

No entanto e tendo em consideração que existe tanta gente interessada na vida alheia, o Ministério da Educação poderia optimizar este recursos que se regem por princípios tão nobres como a futilidade, para algo de proveitoso, como leccionar aulas de História.

Já pensaram no interesse dos alunos se as aulas de história fossem dadas como fofocas…Aumentava substancialmente garanto-vos eu.

Relatar a o episódio da Padeira de Aljubarrota, com pequenos pormenores mais supérfluos confere um outro elan a este feito histórico: “ela era feia e vestia-se mal” , “tinha sete amantes castelhanos que escondia no forno”; Fixou-se em Aljubarrota porque foi raptada para trabalhar num bordel”

Já o caso do misógino Henrique VIII, seria ainda mais delicioso se adicionasse à receita alguns ingredientes como: “casou seis vezes pois as mulheres não conseguiam atingir orgasmos, visto não ser muito bem dotado sexualmente”; Catarina de Aragão foi rejeitada por ser estéril, mas na verdade teve quatro filhos com um muçulmano negro (que comercializava curtumes)."

Ver o Cláudio Ramos, a Lili Caneças ou a Cinha Jardim, como pessoas realmente úteis à sociedade seria algo tão pouco credível como D. Sebastião surgir do nevoeiro e acabar com a corrupção em Portugal.

domingo, 11 de outubro de 2009

Originais

A falta de originalidade assusta-me como ser infectado por uma doença por uma doença-infecto contagiosa num centro de saúde (permitam-me esta redundância). Sou da opinião não existe nada pior que a previsibilidade mas pior do que a previsibilidade é o facto de alguém se aproveitar de algo que não é seu para proveito próprio.

Foi o caso do autor do blog Cu de Oeiras, que teve o cuidado de me plagiar sem apelo nem agravo. Pois bem, bem sei que não sou um Gabriel Garcia Marquez ou um Lobo Antunes, nem tão pouco tenho a pretensão de me comparar, mas o que escrevo neste blog é fruto da minha imaginação (sem recorrer a substancias psicotrópicas).

Se a ideia por trás de um blog é manifestarmos a NOSSA opinião, que sentido faz copiar alguém? Para perceberem o que estou para aqui a dizer, sugiro que leiam este texto e depois leiam este.

Deixo uma sugestão ao Sr. Autor do blog em questão, escreva qualquer coisa de sua autoria, boa?

sábado, 10 de outubro de 2009

Ebony and Ivory

Tenho a perfeita noção que sou uma pessoa que comunica com relativa facilidade, mas existem situações que por vezes me deixam sem palavras…

A noite de 09/10/2009 é uma dessas situações. Muito divertido.

Para os que me viram dançar (se se pode chamar àquilo dançar) Desculpem-me.

O 2º lugar teve sabor a primeiríssimo.


sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Ipod Battle

Como todos sabem tenho um Ipod que me acompanha para todo o lado..desta vez vai acompanhar-me até ao Music Box, hoje...

Mais uma vez concorri a um passatempo (pois... eu sei que concorro a muitos) e fui/fomos seleccionados para participar..

Passo a explicar: um ringue, duas equipas (formada por dois elementos) cada equipa com um Ipod e 90 segundos de música..Ganha quem merecer mais aplausos..visto que posso levar amigos estão todos convidados... Aqui têm mais informações :http://guiadanoite.net/noticias/noticias_mais.php?id=2059

A outra jarra que completa o serviço de mesa é o Galinha...

Prometo não vos maçar com música da treta (porque a brincadeira pode acabar ao fim das primeiras 4 músicas)..será mesmo só palhaçada...

Bora?

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Supintus Desarrumadus

Existem características que habitualmente são intrínsecas aos seres do sexo feminino. Falo-vos da sensibilidade, o tacto e (o aspecto que eu quero aqui focar) a arrumação.

Não é de estranhar quando um homem deixa uma toalha de banho molhada em cima da cama, umas meias no centro da sala ou um par de sapatos na cozinha – ressalvo que estes exemplos são completamente aleatórios e nada têm a ver com a minha pessoa. O mesmo se aplica á existência de gavetas tão desarrumadas que fazem corar a Zara do Freeport em época de saldos.

No entanto, descobri um espécime do sexo feminino que reúne todas estas particularidades e mais algumas. Encontrar um par de meias ou umas cuecas numa das suas gavetas é talvez mais difícil que localizar um dinamarquês no seio de uma tribo Masai no interior do Quénia.

Esta espécie em vias de extinção tem o seu habitat natural no Chão Duro, nos arredores da Moita, alimenta-se de tudo um pouco e tem como bebida de eleição Vodka Red Bull.

Numa recente expedição ao seu meio ambiente, tive a oportunidade de constatar e documentar o seu peculiar e altamente desorganizado modo de vida. O seu progenitor há muito que desistiu de incentivar a arrumação das suas gavetas.

Assim, se a genética estiver correcta será natural que no futuro deixe de ser uma espécie em vias de extinção, pois as suas crias carregarão nos seus genes os cromossomas da desarrumação.

Ficam as fotos que consubstanciam a minha teoria e consequente investigação….


quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Mano Pródigo

Na semana da festa quiçá mais aclamada do universo, dá-se o terminus da hibernação dos muitos que passam o ano a aguardar até terem finalmente um motivo para sair de casa, bem como o regresso às origens dos que espalham a boa nova por outras paragens.


Ora numa festa que assenta numa homenagem religiosa, é normal que eu começasse a associar os que regressam ao lado sagrado da questão…


Foi quando me lembrei de uma parábola, que às tantas julguei aplicar-se a um dos “filhos”cá da terrinha. Seja pela associação de algumas passagens aos sorrisos gerados ao revê-lo, seja pelas desventuras ocorridas durante o seu regresso.
Vejamos:


“…ajuntando todos os seus haveres, o filho mais jovem partiu para uma região longínqua e ali dissipou sua herança numa vida devassa.” – Aplica-se na perfeição, só tendo como ligeira diferença que a distância se limita à travessia de um rio, e que na manhã seguinte é que se percebe o saldo despendido durante a devassidão festiva.


“Ele estava ainda ao longe, quando seu pai (neste caso os amigos) viu-o, encheu-se de compaixão, correu e lançou-se-lhe ao pescoço, cobrindo-o de beijos” – Aplica-se, principalmente porque o

ola que não falta nesta data são os peritos em lançamento do beijo ao pescoço, sendo que em média 70% dos "saltos" falham o alvo e acabam na roulotte da Cristina.


“… trazei a melhor túnica e revesti-o com ela, ponde-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés.” – Aplica-se, mas claro que depende do estado alcoolizado do personagem e da diabrura que os amigos se lembrem de fazer. O anel depende do deboche que eventualmente se possa proporcionar durante a noite.


“Trazei o novilho cevado e matai-o (esta parte aplica-se aos cachorros quentes do Quim, e as churrascadas); comamos e festejemos, pois este meu filho estava morto e tornou a viver; estava perdido e foi reencontrado!’ E começaram a festejar.” – Aplica-se, sendo que muitas vezes o percurso é inverso, ou seja, o personagem passa a sentir-se perdido (as minis e o “wiki” não perdoam), e quanto a reencontrá-lo só se for umas horas depois num certo bar de Karaoke. Mas isso somente gera uma maior vontade geral de festejar.

Hábil a delegar a sua máquina fotográfica pelas mais diversas mãos e situações comprometedoras, recolhe imagens que lhe permitem no dia seguinte fazer a cronologia dos acontecimentos passados, recolhendo material que lhe permite através de chantagem recuperar o saldo gasto na devassidão.

Caso queiram encontrar este mano pródigo, é só questão de procurarem qualquer aeroporto, ou pista de corridas cá pela terra. É que tanto pode andar de braços abertos pela rua a ensaiar um voo picado, como a dar à s

no meio de uma largada de touros com uma grade de minis na mão.

Benvindo. ;)


PS: caso o encontrem em situação "grade", é normal que esteja a partilhar o peso com um candidato a músico. Consta que este ultimo, por motivo do esforço despendido, faz sessões de terapia de recuperação dos pulsos, com base numa técnica que consiste em transformar um copo em reco-reco... :P


segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Festas da Moita

Como nem tudo é trabalho..eis que ele tira três dias e se desloca para a margem sul do rio Tejo para as festividades de uma localidade única..a Moita..

Sim..férias na Festa da Moita...

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Woodstock

Portugal é um país cheio de particularidades. Os muitos quilómetros de extensão são pródigos em idiossincrasias no que toca à “tipologia” das pessoas. Estas linhas não são, de maneira alguma, uma crítica, mas sim um elogio às diferenças e às singularidades do território…~

Educar é um trabalho que exige o melhor de nós (salvo seja) enquanto pais. Oferecer tangas, (esse objecto que, nós homens, tanto prezamos) às filhas é algo que vejo como um acto de carinho…vá…e também de alguma ousadia e arrojo. Disponibilizarmos cinco litros de uma bebida espirituosa para a comemoração de uma ocasião especial da mais nova das suas crias...bom, não é propriamente mau…é talvez um sinal abertura de horizontes e crença na ideia que a cria… não bebe. Afianço que é altamente improvável.

Cada vez mais os pais estão mais próximos dos filhos (em todos os sentidos) e é importante não se distanciarem do dia-a-dia dos seus rebentos. O facto de os jovens saírem cada vez mais tarde de casa contribui bastante para isso. Os pais estão cada vez mais envolvidos nas vivencias dos filhos e participam de forma activa nas mesmas.

As ideias (e as roupas) hippies proporcionam aos filhos uma visão positiva, embora utópica, do mundo, o que faz com que os jovens, leia-se filhos, consigam passar valores como a partilha, o respeito pelo próximo, a liberdade de pensamento e a igualdade sejam valores que devem ser tomados como essenciais para a formação do carácter do ser humano.

Pala, Pinhel e o festival de Woodstock, unidos pelos ideais…

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Big Brother

A informação é controlada e não podemos fazer nada em relação a isso. Existe uma bigbrotherização de todos os mecanismos de comunicação existentes.

Há dias numa troca de mensagens por telemóvel, aconteceu algo que considerei inesperado.

Segundos após de ter pressionado a tecla para Enviar o SMS, recebo uma mensagem de texto da TMN com (mais ou menos) as seguintes palavras: “Erro de sintaxe. O texto que enviou contem erros. Verifique e envie novamente”. Li e reli (incrédulo) a mensagem que acabara de receber. Pensei: será que esta operadora móvel tem um serviço de correcção ortográfica, que desconheço, que controla mensagens de texto que contenham erros? Será que o governo está empenhado em contribuir para uma redução nos erros ortográficos - e no Meu caso particular, de Sintaxe – da população? Progredimos em direcção a uma sociedade que não nos deixa dar erros ortográficos, mas que permite crimes de colarinho branco?

Intrigado, ligo para a operadora e questiono o motivo desta mensagem tão inusitada, alegando que era uma total invasão da privacidade do cliente e que me indicassem qual a melhor forma para registar uma reclamação. Por esta altura, o assistente não só estava a pensar que eu não tinha vida própria, pelo teor do meu contacto, como também exasperava sem respostas objectivas…Questionei-o sobre a legitimidade da TMN em corrigir os meus textos e afirmei que se me desse na real gana escrevia mensagens de trás para a frente ou com K’s e X’s e que mesmo assim não nada poderiam fazer. O assistente continuava desesperado e eu depois de um dia de trabalho estava sem a mínima paciência para ouvir aquela cassete e acabei por desligar sem uma resposta digna desse nome.

A minha teoria é: como não se consegue manter os nossos alunos nas escolas até completarem a escolaridade mínima, engendra-se uma estratégia pedagógica invasiva controlando e corrigindo o conteúdo das mensagens enviadas…

Rebuscado, mas pode ser que resulte.

Por descargo de consciência, acedi às mensagens enviadas e consultei o SMS que havia enviado não encontrando qualquer erro.

Aos meus amigos professores e não só...

Galardoado com a Palma de Ouro em Cannes, o filme “A turma”, espelha a multietnicidade da população francesa actual e uma visão fascinante dos dilemas complexos e das faltas de comunicação que o ensino e a aprendizagem colocam. Numa altura em que muito se discute a posição dos professores em Portugal, este filme mostra-nos os desafios de um professor optimista, crente nos alunos e nas suas particularidades e principalmente que a Educação é muito mais daquilo que está nos livros.

Um excelente filme.

sábado, 29 de agosto de 2009

Desfocados


Cat:

Somos assim quando estamos juntos…Desfocados…Desfocados da realidade, desfocados da normalidade, desfocados do que é politicamente correcto, desfocados do cânone, desfocados de uma linguagem correcta e sem vernáculos, desfocados do que é saber dançar…Focados apenas somos em produzir o maior número de parvoice.

Mas pegando nas palavras que me disseste no teu aniversário: sou uma pessoa melhor desde que te conheço.


sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Geração Rasca?

Inapta, desajustada e imbecil são os adjectivos que ocorrem depois de ser confrontado com o vídeo da mandatária da juventude do Partido Socialista. Refiro-me a Carolina Patrocínio. Se anteriormente a minha opinião sobre esta menina se cingia única e exclusivamente aos seus atributos físicos, actualmente posso afirmar que os seus predicados biológicos são inversamente proporcionais à sua capacidade cognitiva.

O vídeo que a expõe enquanto “entidade” que supostamente representa uma fatia da juventude do nosso país demonstra uma tendência cada vez mais evidente na nossa sociedade: a tendência para a futilidade e para o acessório. Reflecte a imagem de uma burguesia cada vez mais ascendente e de maneira alguma espelha os jovens.

"Prefiro fazer batota a perder." Nada como demonstrar valores tão importantes como a embustice, o logro e o chico-espertismo…

"Só como a cereja quando a minha empregada tira os caroços por mim." Entendo perfeitamente esta menina pois a dificuldade em retirar os caroços de uma cereja assemelha-se à aprendizagem de conceitos tão complexos como os de Física Nuclear ou Neurocirurgia.

Questiono-me sobre os critério de selecção que terão levado o nosso ilustre primeiro a optar por esta criatura patrocinada pela tolice? Como estamos numa era de revivalismos, talvez a concepção de Geração Rasca tenha sido catalisador para a sua (triste) preferência.

Fica a hiperligação, com o video, para tirarem as vossas ilações:

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Viagens

Lara:

Gosto de encarar a vida como uma viagem…uma viagem sem destino, apenas com bagagem de mão, predisposição para encarar as eventualidades do percurso, coragem para ultrapassa-las e vontade para voltar a faze-lo de novo.

A viagem da tua vida não podia ser mais bela. Começaste com a tal bagagem de mão, mas actualmente tens muito mais do que isso: a Madalena que é parte de ti e o Tiago que encontraste (em boa hora) no trajecto da tua viagem.

Avizinha-se um novo destino: a vida em família (a TUA família), com tudo aquilo que ela encerra, que no fundo é como voltar a um lugar onde já estiveste, mas desta vez vais prestar mais atenção aos pormenores e ás suas particularidades…Vais observar em vez de olhar, vais escutar em vez de ouvir e vais sentir em vez de provar.

Porém, o mais importante de cada viagem é o Amor.

Reservo-me a uma justificação do parágrafo anterior, pois julgo que o Amor é por demais subjectivo, abrangente e pessoal, para o fazer. Deves ser tu a elaborar.

Não tenho a mínima duvida que a tua explanação será o mais fiel aos teus sentimentos, pois és assim…Transparente e cristalina, como o Amor deve ser.

Boa Viagem.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Boa tarde às coisas aqui em baixo.


Por diversas vezes comecei textos com expressões de incredulidade, ou demonstrei pura descrença nas notícias que inundam o nosso quotidiano. Estas linhas não serão excepção. Assim sendo, o que se segue é apenas mais um exercício de total espanto e delíquio sobre o nosso mundo:

O Afeganistão aprovou uma lei que legaliza a discriminação contra as mulheres da minoria xiita, ao estipular que podem ser privadas de alimentação caso se neguem a ter relações sexuais com o marido. Ora bem ideia é um tanto ao quanto medieval e custa a crer que estas coisas e outras (como a burqa) ainda façam parte do nosso Mundo. Partilho da opinião do Sarkozy que discorda com o uso da burqa em França (e para mim em todo o Ocidente). Se uma ocidental usa véu num país islâmico, não digo que uma muçulmana use mini-saia e decote generoso no Ocidente, mas por favor mostre-nos as suas feições…e já agora as pernas…e se houver a possibilidade nos mostrar um pouco do peito também agradecemos.

No Ocidente, somos pela Beleza.

Outro episódio que me fez eriçar os pêlos, foi o facto da IAAF, estimulada pela meteórica progressão de Caster Semenya, uma jovem sul-africana de 18 anos, ter ordenado um teste de verificação de sexo, realizado por vários médicos. Semenya é suspeita de ser hermafrodita e de possuir atributos femininos e masculinos, o que faz com que os seus resultados (enquanto Mulher) não sejam possíveis e principalmente tangíveis. Perante isto, penso na quantidade de mulheres com ar de macho a fazerem desporto e a conseguirem feitos históricos: a Navratilova parecia (parece) um homem (e um homem feio), a Serena Williams parece um travesti e um número considerável de jogadoras da WNBA que todas juntas parecem o batalhão dos Bombeiros Voluntários do Concelho de Sesimbra... Já o Nuno Gomes, poderia fazer parte da Liga Feminina de Futebol de Praia.

Se caminhamos para o abismo? Eu acho que, às vezes, sim…

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Cocktail

Terminaram as férias, mas seria com a maior das naturalidades que prolongaria o meu período de ócio por mais alguns meses.

Estas férias ficarão marcadas na minha memória e principalmente no meu corpo. Mas já lá iremos... Durante estes quinze dias de ausência, no nosso país e no mundo, muitas foram as noticias que me fizeram espécie (esta expressão é fabulosa, não é?) entre elas esta: Isaltino Morais foi condenado a sete anos de prisão efectiva e a perda de mandato, bem como a pagar uma indemnização de 463 mil euros ao Estado (se isto fosse uma piada esta seria a punchline). A listagem de crimes fala por si: fraude fiscal; abuso de poder; corrupção passiva para acto ilícito e branqueamento de capitais, ou seja os requisitos essenciais e indispensáveis para dar um excelente autarca.

Mas voltando às minhas férias…fui brutalmente atacado por dois animais de alto porte: o gato da minha sobrinha, que me mordeu traiçoeiramente, numa emboscada realizada no corredor da sala e por um Peixe-Aranha sem escrúpulos, que me agrediu de forma grosseira na praia da Ilha do Pessegueiro.

Para quem nunca pisou um Peixe-Aranha, eis uma breve descrição da dor que se sente, dor essa se manifesta imediatamente: imaginem uma otite, misturada com dor de dentes, um murro no baixo-ventre, outro nos testículos e depilação a cera…um cocktail de dores, apenas para os mais audazes.

Curiosamente no Centro de saúde de Porto Covo, o único auxílio que me deram foi administrativo, pois Enfermeiros e os Médicos encontram-se de férias (se forem para Porto Covo em Agosto é imperativo que não adoeçam). Moral da história: fui à farmácia, deram-me um spray e fui comer salada de polvo, amêijoas à bolhão pato, devidamente regada com uma caneca...dois dias depois o pé inchou, infectou e estava no Hospital da Cuf (de muletas) a servir-me de anti-inflamatórios e antibióticos.

Mas as amêijoas estavam um pouco salgadas e a quantidade não era generosa.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Férias

Como vou de férias, deixo-vos com uma nota para as próximas duas semanas:

"Nunca falte ao trabalho, pois é aí que o seu patrão pode ver que não precisa de si".

Até...

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Adão e Eva

Hoje, no Jornal I, li uma entrevista do Presidente do Instituto Português do Sangue que é um completo atropelo à liberdade individual de cada um. O senhor dá pelo nome de Gabriel Olim e afirma que os gays são um grupo, que pelo seu comportamento de risco, não são aptos para serem dadores de sangue.

Ao ler a entrevista deste ilustre senhor, ocorrem-me de imediato duas pessoas que preenchem os requisitos para a dádiva de sangue: Adão e Eva. São duas pessoas que não têm comportamentos de risco, não praticam sexo oral ou anal, não têm mais do que um parceiro e acima de tudo são heterossexuais. Ah e vivem no paraíso, livres de qualquer tipo de prazer carnal, leia-se sexo oral e anal, só fazem amor na posição do missionário, usam sempre preservativo…ou então um bacio.

Será que os únicos que têm comportamentos de risco são os homossexuais? E as casas de prostíbulo que estão habitualmente lotadas de heterossexuais, ansiosos por se comportarem de forma arriscada? E nas discotecas? Onde adultos e jovens (heterossexuais) alcoólica e quimicamente alterados se envolvem num ritual de acasalamento em tudo semelhante ao dos pavões e que habitualmente terminam na cama, sem a devida protecção?

Estarão também estes, inseridos nesse mesmo grupo de risco ou não, por praticarem o amor com o sexo oposto?

Custa-me a crer que este senhor presida o IPS, pois esta sua postura desrespeita e descrimina as pessoas de baseando-se na sua orientação sexual. Mas desde a actuação de Amy Winehouse no Rock in Rio Lisboa, muito pouca coisa me espanta…

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Persistência da Memória

David, como o tempo é maleável e nada rígido, sinto que a nossa amizade tem mais tempo do que realmente tem…Dedico-te este quadro de Dalí no dia do teu aniversário.

Um abraço

quinta-feira, 23 de julho de 2009

O Mundo

Hoje o mundo é um sítio melhor!

Completa hoje um dia de vida a Rita, um bebé, que segundo o pai é lindo. Quero felicitar a família pela chegada do novo elemento, os pais: David e Lila e também o miúdo ruivo pois agora tem uma maninha para cuidar e proteger. Quanto à Rita, o que te posso dizer é que não te faltará amor, carinho e muita parvoíce.

Também hoje o mundo é um sítio melhor porque a minha linda e talentosa Marta é aniversariante. Marta: muitos parabéns e quero que saibas que te adoro e que o teu talento e criatividade não têm espaço para auto-comiseração, nem falta de motivação.

És e serás sempre capaz...

Sim, hoje o mundo é um sítio melhor.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Férias Grandes

Lembram-se dos nossos tempos de infância, quando tínhamos três meses de férias? Era tão bom…tínhamos o Verão inteiro só para nós. Infelizmente vamos crescendo e das duas três: ou temos os habituais 22 a 25 dias de férias/ano concedidos ao trabalhador comum ou então temos períodos de férias mais alargados, o que não quer dizer efectivamente que seja uma circunstância afortunada…mas sim um sinal que estamos desempregados.

Mas após muito pouca pesquisa, descobri que podemos perpetuar a nossa infância no que às Férias Grandes diz respeito, num local de trabalho onde os dias da canícula são em maior número que na generalidade dos postos de trabalho: os tribunais.

Pois bem, num país onde a Justiça é lesta como o processo de degradação de uma garrafa de vidro, nada como ter os tribunais encerrados durante todo o mês de Agosto. É que durante a época estival estima-se que a actividade criminal reduza-se a pequenos delitos (como o furto de pastilhas elásticas e outro tipo de doces) que se resolvem sem ser necessário recorrer à barra judicial, mas sim com um olhar intimidador e um pedido veemente de devolução do item furtado ou nos casos mais complexos com uma palmada na mão.

Com um emprego num Tribunal a vida torna-se muito mais alegre e jovial, especialmente na Silly Season.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Parabéns Frida

(...)Conheço tão bem esses olhos
e nunca me enganam,
o que é que aconteceu, diz lá
é que hoje fiz um amigo
e coisa mais preciosa
no mundo não há.



quinta-feira, 2 de julho de 2009

Crónica de uma morte anunciada.

Programado para ser uma estrela, perdeu a infância, a adolescência e em adulto acabou por perder o juízo O síndroma de Peter Pan e a sua fortuna permitiram-lhe reviver a infância perdida.

Michael Jackson morreu aos 50 anos. Desenganem-se aqueles que pensam que a Pop continuará igual. É impossível. O seu talento estava num patamar inatingível Os números da sua carreira espelham a genialidade das suas performances, músicas, coreografias.

Quem nunca fez o Moonwalker? Ou pelo menos tentou fazer. Eu tentei fazer o MoonWlaker, no entanto, inadvertidamente criei um novo passo de dança…Baptizei-o de BrickWalker devido às duas plataformas estanques a que chamo pés.

Não me quero comparar ao Michael Jackson, se bem que em tempos (remotos) as nossas semelhanças eram mais acentuadas, porém ele tratou de “clarificar” essas mesmas similaridades e também porque quando ele tinha um espasmo dançava muito melhor do que eu.

Era fabuloso. Espero que o que fique deste grande artista seja a sua qualidade enquanto músico e entertainer e não as suas loucuras e alegadas perversões de que foi acusado. Mas esse exercício deve ser feito por nós, os apreciadores de música, pois ele era único.

Errare humanum est.
Descansa em paz.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Manual de Instruções

“Todas as unidades, mesmo as que possuem software actualizado podem ser infectadas com um vírus.”

“Por vezes terá de fazer o download de medicamentos para a unidade, a fim de restaurar a capacidade de funcionamento total.”

“As birras ocorrem por o sistema da unidade estar sobrecarregado com actualizações de programas que têm lugar durante esta fase.”

De que falo eu perguntam vocês?

Esta terminologia poderia facilmente ser aplicável a um qualquer programa informático, desenvolvido por Engenheiros Informáticos do M.I.T. Mas efectivamente, o sustentáculo desta linguagem tão técnica está relacionado com…Bebés (!).

Cheguei a este livro, pois a cria da sobrinha da minha senhoria (que sequência esta!) está numa fase de birras. O livro foi escrito por Brett R.Kuhn e Joe Borgenicht e destina-se a auxiliar papás e mamãs na transição de bebé para criança, que neste pedagógico livro são carinhosamente designados como Unidades.

Com este livro os Pais estão devidamente munidos de dicas e técnicas que impedem a formatação do disco da Unidade, uma vez que existem Unidades com Trojans que são extremamente difíceis de remover…mas aí recorre-se a um sistema tão antigo como o ábaco: a bela da Palmada.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

D. Graciete

Desde logo avisado do seu temperamento intempestivo, fui para o rendez vous com alguma relutância. Andava à procura de casa para alugar e a sua sobrinha (uma amiga minha de longa data que tem uma cria (muita linda, por sinal) a quem carinhosamente chamam Mr. Frodo pois com apenas 1 ano e meio já calça o 39/40) * falou-me da possibilidade de um arrendamento. Concentrei-me e arrumei as ideias para que o discurso não fosse periclitante.

Assim que a vi, apercebi-me que não haveria motivo para alarme. Senti que tinha um feitio peculiar, mas também um bom coração.

Estou a falar-vos da D. Graciete, a minha senhoria. Existem casos de senhorios completamente inoportunos e avarentos que atormentam as vidas aos inquilinos. Mas não é este o caso.

Existe coisa melhor que ter, logo pela manhã, queques e empadas caseiras na maçaneta da porta? Às vezes ainda estão quentinhos…

Hoje por exemplo, abri a porta e tinha o seguinte post it : "Sr Alcides, abra a porta que tem um Miminho."

Na porta, estavam 6 queques e seis empadas.

Há coisas fantásticas, não há?

Dedico este texto à "tia" Graciete e à mãe de Mr. Frodo, pois há coisas que não se explicam..sentem-se apenas. Termino com parte de uma música do Rappa:

Família é quem você escolhe pra você
Não precisa ter conta sanguínea
É preciso ter sempre um pouco mais de sintonia

* - Não sei se gramaticalmente está correcto, mas estes parêntesis dentro de parêntesis reflectem a tendência mais actual e que se usa lá fora…

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Assim vai o Mundo

A criatividade humana não tem limites e os gadgets que vão sendo inventados são cada vez completos. Há uns anos atrás o telemóvel não existia agora é algo essencial ao dia-a-dia de qualquer mortal que se preze. Actualmente há telemóveis com câmara fotográfica, leitor de MP3, Bluetooth, internet, descascador de tremoços, testes de gravidez e os mais evoluídos vêm apetrechados de gel de banho do Lidl.

Mas em vez de telemóveis, venho falar-vos de dois gadgets: ao primeiro chamei-lhe “Coisas que te metem na cabeça” e ao segundo “Holocausto das Moscas” Pois bem, começando pelo início, o aparelho “Coisas que te metem na cabeça” é nada mais nada menos que uma pen drive, que contém uma mini-antena GPS, funciona a pilhas e é resistente à água. Para activá-lo basta gravar as coordenadas da posição inicial e colocá-lo em modo de gravação. Esta detector de cornos e infidelidades irá registar o caminho percorrido pelo/a infiel com todos os detalhes, inclusive as localizações e durações das paragens feitas e nomes de ruas incluídas.



Escusado será dizer que a carreira de Detective Privado está posta em causa.

O segundo gadget, o Holocausto das Moscas, é uma fritadeira de moscas portátil. Cálculo que conhecem aquele aparelho que, por norma, está no tecto dos estabelecimentos comerciais e que emite um estalido sempre que uma pobre coitada esvoaça em direcção à luz…agora imaginem uma raquete eléctrica com a mesma funcionalidade…é ver os empregados de café com um ténis mais apurado que Roger Federer e Rafael Nadal juntos e ainda com uma eficácia 100 vezes superior ao absoleto Dum-Dum.


(Acho que o nepalês da minha ciber-mercearia está qualificado para o Wimbledon. A esquerda dele é fortíssima!)

E assim vai o mundo das tecnologias.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

O Circo

Muito se tem discutido sobre os valores envolvidos nos negócios de Florentino Perez. E como não estamos em Teerão, também eu vou tecer alguns comentários sobre os números astronómicos ligados às contratações feitas pelo presidente do Real Madrid.

Ora, se se gasta o equivalente a um vencimento de 900€, de um grupo de 223 colaboradores durante um período de 30 anos, num jogador de futebol é porque esta história da crise não é tão Real (Madrid) quanto se pensa. Bem sei que há a perspectivas de retorno do investimento com o merchandising e direitos de imagem, especialmente no mercado asiático, onde jovens compram tudo o que é proveniente do Ocidente, desde as camisolas de vedetas do desporto a restos capilares de estrelas de rock.

Cristiano Ronaldo converte-se, assim, no ser humano por quem mais se pagou no mundo (e nem descobriu a vacina contra a SIDA ou tão pouco conseguiu colocar o presidente Mugabe atrás das grades), todavia, é o menos responsável pela obscenidade dos números que envolvem a sua transferência. Julgo até que os números são pouco éticos e tendem a descaracterizar a modalidade.

Aquilo que torna o futebol um desporto tão apaixonante é a competitividade e com a criação de super equipas perde-se um pouco (muito) dessa essência que faz com seja uma modalidade tão cativante.

Talvez fosse mais fácil criar uma equipa do género dos Harlem Globetrotters, com as maiores vedetas do futebol e ao melhor estilo do Circo Vítor Hugo Cardinalli, dariam exibições itinerantes, onde se assistia a um desfilar de astros da bola.

Uma última nota para o CR7: tanta mulher gira no Mundo e vais festejar a transferência com alguém que tem uma mais quilómetros que a Route 66? Francamente…Só me apetece dizer que quem nasce lagartixa nunca chega a jacaré.

terça-feira, 9 de junho de 2009

O Preço Certo

Como não tenho Internet em casa, acedo através de um ciber-café…quer dizer Ciber-Mercearia. O conceito pressupõe a comercialização de todo o tipo de produtos inerentes a uma mercearia, que vão desde o alho a especiarias vindas do extremo oriente. A tudo isto adiciona-se um toque de novas tecnologias, com três computadores com acesso à World Wide Web.

É efectivamente um estabelecimento comercial invulgar, pois os proprietários são Nepaleses e o idioma utilizado para a comunicação é o Inglês. Tenho estado a fazer um esforço para aperfeiçoar o meu nepalês…

Mas as particularidades deste estabelecimento são insondáveis. Há dois dias, enquanto preparava o jantar, apercebi-me que não tinha vinho branco para o tempero. Desço as escadas e entro na Ciber-Mercearia, dirijo-me à prateleira onde se encontravam os pacotes de vinho Sualdeia, sempre necessários para a confecção de uma refeição deliciosa e pego num pacotinho.

Dirijo-me à caixa para pagar e o senhor não sabia ao preço dos mesmos, pois os produtos ainda não estão com os preços afixados. Nisto, o simpático funcionário/proprietário questiona-me se sei o preço. Estranho a pergunta…mas rapidamente avanço para um valor que foi aceite pelo funcionário, dizendo-me que se estiver acima me devolve a diferença ou se estiver abaixo acertaremos contas posteriormente.

Fechamos o negócio sem grandes dificuldades e voltei para casa, para continuar a confecção do prato, com um sorriso na cara, a pensar: “Ainda bem, que vejo o Preço Certo!”

Dicas

Beware the lollipop of mediocrity. One lick, and you'll suck forever.

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Chupa Chupa

Para muitos o nome de Carolin Berger não dirá muito, pode mesmo não dizer nada. Mas esta senhora tentou realizar uma proeza apenas ao alcance das predestinadas…do mundo da pornografia. A senhora em questão, mais conhecida por Sexy Cora, fez uma tentativa de entrada no abrangente (chamemos-lhe assim) livro de recordes do Guiness.

Porém, antes de avançar para a façanha de Carolin, permitam-me um pequeno parêntesis sobre o Livro do Guiness: com o decorrer do tempo, o conteúdo deste livro está cada vez mais idiota e quando digo idiota, mas não é idiota de Alberto João Jardim, mas sim idiota de alguém que realmente tem ideias, brilhantes ou não, como por exemplo Mozart (brilhante) ou Valentim Loureiro (ou não). Senão vejamos alguns dos recordes mais bizarros:

- Recorde do maior número de hora a passar a ferro: 55 horas e 5 minutos (esta alma podia passar lá em casa ao domingo que eu tenho lá umas quantas camisas por passar)

- A maçã mais pesada do Mundo (não…não é do Entroncamento) com 1.849 kg

- O arroto mais alto do Mundo, emitido por Paul Hunn, atingiu 118.1decibéis (sem comentários, pois a parvoíce é por demais evidente).

Pois bem, Sexy Cora estabeleceu como objectivo realizar sexo oral a 200 homens. Um recorde mui digno de se ser detentor e que muito provavelmente daria um outro significado à expressão Garganta Funda.

Mas este grande feito foi interrompido ao fim de 50 minutos devido a uma crise respiratória (!), tendo a bomba de sucção, leia-se senhora, sido conduzida ao hospital após as primeiras tonturas.

Quer-me parecer que se Sexy Cora tivesse tentado “bater” o recorde ao invés de “engoli-lo”, estaria agora com o seu nome inscrito no memorável livro Guiness World Records.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Arte

Há bijuteria e bugigangaria e o que a Lila faz é muito mais do que isso..

É Arte..passem por lá..Vão ver que valerá a pena..

Boa sorte Lila..Bijus

Coisas que nos fazem sorrir

Aqui fica um sms que me fez sorrir:

"Manos. Saí agora da consulta. A minha sementinha tem 9 semanas e dois dias e mede 2.49 cm. Parece que está tudo bem. É muito bom ouvir o coraçãozinho dele. Tou em êxtase. Bj e desculpem a hora."

Lisboa, 03 de Junho de 2009
02h04

Ensaio sobre a Cegueira

Quatro anos e meio volvidos e o caso Casa Pia continua por terminar. A generalidade dos arguidos continua em liberdade, com excepção do pedófilo cujo advogado (o ilustre Dr. José Maria Martins) mais se parece com um personagem retirado da série os Sopranos, do que licenciado em Direito.

Em textos anteriores mencionei que a justiça de nada tem de amblíope. Neste caso particular, é absolutamente pornográfico o que passa. Seria determinante que num caso tão mediático quanto este, que envolve uma instituição como a Casa Pia, que a Justiça não tivesse dois pesos e duas medidas e as pessoas (peço desculpa pelo eufemismo) que causaram tanto mal a tantas crianças fossem responsabilizadas pelos seus actos. Crianças a quem foram feitas promessas de educação, conforto e só encontraram “colinho” dados por pervertidos.

Por um lado temos o cidadão comum (bem chamar cidadão comum ao Carlos Silvino é tão lisonjeiro como a Universidade de Oxford atribuir um doutoramento Honoris Causa a Sousa Cintra) e por outro lado as individualidades com nomes sonantes: Carlos Cruz, Hugo Marçal e o Embaixador Jorge Ritto e o comportamento da Justiça é tudo menos imparcial. Começando pelas medidas de coação a que foram sujeitos os arguidos. Escusado será dizer que o único que efectivamente está a pagar pelo que fez é o Sr. Bibi.

Confesso que não estou minimamente optimista relativamente à conclusão deste processo. Num futuro próximo, gostaria de me deparar com a notícia da condenação deste bando de criminosos.

Mas parece-me que nem no futuro…muito menos num futuro próximo.

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Carta aberta a Rui Sinel de Cordes

Caro Rui, em primeiro lugar importa informa-lo que sou castanho, vulgo preto. Adianto-lhe esta informação pois sei que esta informação de cariz étnico-social é relevante para o desempenho do seu métier.

Pois bem, o motivo desta missiva é para lhe dar nota da minha opinião sobre o o seu programa na Sic Radical e a qualidade do seu humor. Assim e indo directamente ao assunto, considero que o seu trabalho e a qualidade dos seus textos são muito medíocres. Aliás, por um lado espanta-me que um canal de televisão tenha aceite o seu projecto, mas pensando um pouco chego à triste conclusão que na TV vale tudo. Basta pensarmos no programa a Casa do Toy.

Ontem decidi perder, para sempre, quinze minutos da minha vida (nunca mais os recuperarei) a assistir ao seu programa Preto no Branco e senti-me lobotomizado. As suas piadas raciais são tão previsíveis quanto o humor protagonizado pelos Malucos do Riso. Tiro o chapéu aos Malucos do Riso, não só pelas suas audiências como para o humor segmentado que fazem. Ainda que de pouca qualidade, verdade seja dita.

Quanto ao Rui, gabo-lhe a coragem por ir para o ar com algo tão pouco sustentável: Chineses vendem cães nos restaurantes, indianos cheiram a caril e vendem rosas, pretos são gatunos, góticos são drogados…Volto a salientar que a previsibilidade é por demais evidente.

Sou um grande apreciador de humor e de humor negro (que aparentemente é o registo no qual o Rui se auto-classifica), porém considero que o seu registo é mais o Humor de Qualidade Duvidosa. Pessoalmente acho que o Humor é a forma mais acutilante de podermos criticar, discordar, argumentar e opinar, sobre qualquer assunto da nossa sociedade mas aquilo que o Rui faz só desvirtua todos os profissionais do humor.Se efectivamente quer trabalhar com humor e textos humorísticos deixo-lhe a sugestão de melhorar substancialmente os seus trabalhos.

Porque senão nunca passará daquilo que actualmente é: um entertainer medíocre.

Um abraço

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Reis da Conveniência

Bom fim de semana...atenção à pequena descida da temperatura máxima...

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Bimby

Será que a Bimby substituirá as mal-amadas bonecas insufláveis (esses objectos que proporcionam momentos de prazer aos mais desamparados)? Pois é, a resposta será dada dentro de alguns anos ou talvez não… e talvez a resposta seja negativa ou talvez não.

Mas até lá e como nada me impede de o fazer, vou (des) ocupar-me a desenvolver uma teoria da conspiração em que máquinas que têm o objectivo de confeccionar refeições elaboradas a donas de casa menos dadas à culinária e que alegam faltam de tempo para cozinhar, acabarão por solucionar problemas de disfunção eréctil, impotência e até mesmo fertilidade.

A Bimby, tal qual a conhecemos actualmente, prima pelas suas qualidades gastronómicas mas com os avanços tecnológicos as suas capacidades estender-se-ão a áreas tão complexas como a Andrologia. Médicos e Engenheiros de todo o mundo reunir-se-ão numa conferência sobre Inteligência Artificial e Bio-Genética a ter lugar no Pinhal Novo (ali ao lado da nova estação dos comboios) e desenvolverão a Bimby Erótica. Este aparelho proporcionará não só a possibilidade da confecção de Cozido à Portuguesa e Caril de Gambas como também a possibilidade de realizar felattios e cunnillingus de acordo com o sexo do proprietário.

A Bimby Erótica virá em diferentes línguas, sendo que a que terá o maior volume de vendas em Portugal (mais particularmente em Bragança) será a Bimby brasileira. A frase: “Vem fazê Gostoso!” será ouvida mais vezes do que qualquer piada que o Gato Fedorento possa vir a fazer… com o humor de tempos remotos.

Serão criadas linhas de roupa interior para a Bimby Erótica e o dia-a-dia de pessoas que vivem única e exclusivamente para o trabalho mudará radicalmente. À chegada a casa serão brindados com a Bimby vestida apenas com uma combinação ou um fio dental estampado com uma imitação medíocre de pele de tigre, sussurrando ao ouvido do proprietário: “Vem fazê gostoso!”

Os casos de infertilidade diminuirão substancialmente, pois a Bimby Erótica trará um estimulador testicular que ajudará à produção de espermatozóides (no caso dos homens) ou um ovário funcional (no caso das senhoras) viabilizando a “confecção” de crianças.

E viveremos felizes para sempre…

Bimby: “Vem fazê gostoso! “

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Férias

A felicidade parece residir no ócio, diz Aristóteles...

Concordo...pelo menos até ao próximo dia 04.05.2009.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Perspectivas

Depois de documentarem os últimos dias de vida de uma pseudo-celebridade, os ingleses continuam a inovar. Desta vez oferecem um milhão de dólares a uma dona de casa escocesa de 47 anos (ainda virgem), para participar num filme para adultos.

Susan Boyle participou no Britain’s got Talent, um concurso de talentos e surpreendeu toda a gente com a sua espantosa voz. Mas os seus atributos físicos ficam-se pela voz…verdade seja dita. Todavia, a indústria porno como qualquer outra actividade que visa o lucro também tem que se reinventar e nada como oferecer uma pipa de massa a uma senhora que passava bem por mãe do nosso amigo de infância, para se despir e realizar algumas cenas que entre outras envolvem posições com nome de números ímpares.

Mas pensando bem, esta história de catapultar para o estrelato ilustres desconhecidos já existe em Portugal há algum tempo. Quem não se lembra da primeira cena de violência doméstica transmitida para a televisão nacional? Aquele low kick do Marco no Big Brother antecipava alguns catapultanços para o estrelato.

Outro episódio memorável foi a rixa entre Companhia e Batatinha, dois palhaços de renome na nossa praça, em directo e com uma plateia repleta de crianças que assistiam incrédulas ao combate entre os entertainers e ouviam os ribombar dos vernáculos proferidos pelos palhaços …Foi talvez a primeira cena bullying transmitida em directo.

Depois disso, só mesmo o Vasco Pulido Valente vs Manuela Moura Guedes.

Resumindo, os ingleses não estão tão à frente quanto pensava inicialmente, afinal de contas é só mesmo uma questão de perspectiva.

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Valeu a Pena..

Tirando a excruciante vontade de urinar que me assolou durante o trajecto até ao Pavilhão dos Lombos em Carcavelos (que quase me fez saltar do carro dos pais do miúdo ruivo, em plena Marginal) e alguns problemas de som, o concerto d’O Rappa foi perfeito.

O ambiente era pura festa, ao melhor estilo brasileiro, com muito funk a anteceder a subida ao palco banda do Rio de Janeiro. A “decorar” todo o pavilhão havia brasileiras mulatas, loiras e morenas de alto calibre que intimidam as mulheres e fazem sonhar a generalidade dos homens.

Minutos antes do inicio do concerto tive a oportunidade de conhecer o manager da banda, Valdir Rodrigues (um senhor impecável, paciente e extremamente simpático) que me possibilitou conhecer o baixista da banda – Lauro Farias e o vocalista, o calmo e também muito afável Marcelo Falcão. Com muita pena minha não foi possível levar o pessoal a conhecer alguém que ultimamente tem estado a tocar quase ininterruptamente nos nossos rádios, iPods e computadores.

Retribuí a simpatia com uma garrafa de Duas Quintas e um cachecol de Portugal, para marcar a presença deles neste rectângulo desenhado na Península Ibérica.


A setlist teve um reportório abrangente que percorreu a sua discografia, com maior incidência no último álbum, 7 vezes. Ao longo de todo o concerto foram várias as vezes que o público (97% de brasucas) entoou em uníssono as letras de Me deixa, Rodo Cotidiano, A Minha Alma, Monstro Invisível, Hey Joe, Pescador de Ilusões, e por aí alem…Só faltou mesmo a Farpa Cortante.


No final, pudemos todos dizer: Valeu a pena…Valeu a pena.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

O Homem-Invisível

Existe um novo super herói na cena actual de Portugal. Trata-se do Homem Invisível. Os seus poderes permitem-lhe passar impune, aliás invisível, a toda e qualquer situação em que a sua eterna liberdade seja posta em causa.

Muitos vilões tentaram, de forma ineficaz, derrota-lo, mas a sua arte e engenho torna-o invencível. Os vilões fazem parte de uma seita cujo principal objectivo é capturar este tipo de herói e encerra-los em celas, sem direito às regalias inerentes e indispensáveis à sua condição de predestinado. Porém em vão… À sua organização dão o nome de Ministério Publico.

Na última tentativa de capturar o Homem-Invisível, organização denominada Ministério Publico voltou a falhar. O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, vulgo Homem-Invisível, foi ilibado no chamado "caso do envelope", o mesmo acontecendo com o empresário António Araújo e o árbitro Augusto Duarte, os ajudantes do nosso Herói. O caso estava baseado em declarações feitas por Carolina Salgado, a arqui-rival .

Em causa estava um alegado suborno de 2500 euros que teriam sido dados a Augusto Duarte relativo ao encontro entre o Beira-Mar e o FC Porto da época 2003/04 e que terminou empatado a zero, suborno que teria sido entregue na casa do dirigente portista.

Mas mais uma vez as suas fabulosas capacidades possibilitaram que a sua liberdade continuasse inviolável e os seus actos impunes, aliás invisíveis.

Afinal ele é o Homem-Invisivel, aliás o Pinto da Costa.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Olá!

Já faz tempo que esta taberna online não é actualizada. Mas a preguiça tem-se sobreposto a todas as incursões que faço pelo Word, que nos últimos tempos, invariavelmente acabam com uma página completamente alva.

Obviamente que motivo não é falta de assunto, pois na verdade todos os dias há indivíduos de extrema-direita com acesso a documentos que implicam o primeiro-ministro em eventuais situações de corrupção e fraude, todos os dias há histórias de padres que se recusam baptizar jovens católicos com o nome de Lucilio, todos os dias há homens “de esperanças” e prestes a darem à luz pela segunda vez…

Mas enfim, a nossa vida seria bastante cinzenta para vivermos sem estas pérolas.

Durante esta ausência, tive a oportunidade de conhecer o autor do blog Avozinha, um tipo alto bem-parecido, bonito mesmo.... mas que de vez em quando deixa-se levar pelo cliché da crise e como a gasolina está cara, mesmo tendo um carro a gasolina atesta-o com gasóleo…Mas Herrar é Umano. (se o erro for ao contrário a piada da crise não resulta muito bem).

Também durante esta ausência, tive a oportunidade de ouvir algumas barbaridades particularmente anedóticas, como por exemplo que Barack Obama era o Anti-Cristo. Ora se Barack Obama é o Anti-Cristo eu converter-me-ei ao Anti-Cristianismo e se formos muitos talvez possamos criar uma nova religião, talvez até mesmo um papa que nas suas viagens pelo continente africano não diga disparates como o Pastor Alemão.

Termino estas linhas com uma frase que está inscrita numa parede da Graça:

“Troco Magalhães por Playstation.”

segunda-feira, 23 de março de 2009

Keep rolling the dices... não os Dadinhos

Os anos passam... acumulando essência. :)


Essa não podia faltar né?







Mega Parabéns Mano Chido

quarta-feira, 11 de março de 2009

A man lies in his bed in a room with no door
He waits, hoping for a presence or something, anything to enter
After spending half his life searching
He still felt as blank as the ceiling at which he stared
He is alive, but feels absolutely nothing, so is he?

When he was six, he believed that the moon overhead followed him
By nine, he deciphered the illusion, trading magic for fact, no trade-backs
So this is what it's like to be an adult?
If he only knew now what he knew then

sábado, 28 de fevereiro de 2009

Era uma vez...

um pequeno reino chamado Portucalo. O reino de Portucalo era governado por um austero e algo conflituoso monarca, de seu nome D. José Sóquetes. Reza a lenda que o chefe de Estado, não concluíra os seus estudos mas que adquiriu o seu título de iluminado, em troca de algumas cabeças de gado e um pedaço de terra. No inicio do seu reinado, costumava sentar-se na cadeira da esquerda, mas à medida que o tempo foi passando foi-se chegando cada vez mais à direita.

Estamos em pleno século XVI, altura em que os nobres responsáveis pela gestão dos pequenos feudos de Portucalo desenvolvem uma corrente que cinco séculos depois continuaria a ser utilizada, a Corrupção.

Vive-se também o período onde as várias formas de manifestações públicas eram severamente censuradas.

Enquanto o Clero continuava envolvido numa redoma de preconceitos e obscurantismo, o povo divertia-se com um desporto colectivo praticado com um objecto redondo feito de panos. Anos mais tarde sofreria um up grade e seria baptizado de Futebol. Mas o povo gostava de também do Entrudo, altura em que aproveitava para exteriorizar alguma revolta e satirizar os seus governantes, através das suas actividades carnavalescas que contemplava sempre um desfile, com carros alegóricos.

Numa dessas ocasiões, as sátiras foram vítimas de censura. Acontece que o povo desenhou, a giz, numa Ardósia, a figura de várias mulheres sem roupa. Como quem tinha “inventado” a ardósia, tinha sido D. José Sóquetes (o monarca contava enviar para a Venezuela cerca de um milhão de ardósias, em troca de alguns favores económico-financeiros) aquilo foi uma afronta e mandou retirar a ardósia do carro alegórico.

Mas o povo também gostava de se instruir e de vez em quando organizava feiras de livros. Numa dessas feiras estava a ser vendido um livro cuja capa era um famoso quadro de Coubert (que ao melhor estilo de Regresso ao Futuro, só nasceria alguns anos depois). Por considerar que aquele livro pornográfico, as autoridades do feudo retiraram o livro da feira. Anos mais tarde esta prática passou a ser norma e nome das autoridades do feudo passou a ser PIDE.

Estes são apenas alguns episódios de um reinado pautado pela incoerência e que no fecho desta edição, ainda não tinha um fim escrito, mas pelo andar da carruagem prevê-se que o monarca foi deposto…

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Recordações Desmanteladas

Senti hoje algo que ao longo dos anos é inevitável de vez em quando sentir, que as recordações, apesar de não serem apagadas, podem ser desmanteladas.

Há lugares, pessoas, edifícios, árvores, praias, enfim uma infinidade de “marcos” que nos transportam a mente para tempos idos, que sabem bem quando os voltamos a ver, que fazem parte de nós. Que por vezes numa simples partilha de memórias nos abrem o sorriso de forma rasgada, nos fazem sentir as emoções e aromas como se nesse preciso momento tivéssemos sido transportados no tempo.

Neste caso em particular refiro-me a um pontão, a uma amontoado de madeira, ferro e pedra. Algo básico não tivesse ele sido parte integrante do crescimento, palco de momentos gravados na história, pelo menos na minha. Poucos conseguirão imaginar (provavelmente só mesmo quem conheceu esses tempos) a animação que se vivia nesses anos por lá, em que muitos da “trupe” (alguns que na altura nem se conheciam) passavam os seus dias por aquelas bandas, em que aquele era “o” sítio, por muito ridículo que isso possa agora parecer.

Era ali que se davam os primeiros grandes mergulhos, que se punham à prova as habilidades que se aprendiam noutros lados, que se faziam os primeiros ensaios românticos de ver o Sol a pôr-se, que se aprendia a alegria de conviver com os amigos junto ao mar (mais exactamente num rio com vestígios de sal).

Quando as drogas pesadas faziam vitimas entre os mais velhos e os pais alertavam os mais novos dos seus malefícios, descobríamos que independentemente da “ameaça” haviam ainda assim pessoas válidas, que marcavam mensagens nos mais novos, fazendo perceber que aquilo era um mau caminho, como os próprios diziam. Nos tempos em que éramos 3 miúdos que iam “andar de skate pró Rosário, as pessoas falam do carocho que tá lá mas ele no fundo é porreiro”, isso já nos fazia crescer como seres humanos, percebendo que aparte de crenças, raça, estrato social ou mesmo rótulo (naquele caso devido a vício) a “capa” não passava exactamente disso mesmo. Tudo isso enquanto íamos olhando para o pontão, acompanhando a maré até estar no ponto certo para a diversão aquática.

O crescer percebendo que tal como na vida tudo se transpunha, tal como na fase em que somente aqueles que tinham braços mais compridos conseguiam passar o portão de ferro, para anos mais tarde constatar que isso era agora bem fácil, o perceber que “éramos mesmo pequenos naquela altura”. Conceber o sonho de um dia ter a Califórnia a poucos kms de casa, de tal como lá poder surfar por entre os pilares quando algum maremoto decidisse invadir a praia. Sorrir ao recordar aquele Sol na face.

Muitos momentos mágicos se registaram ao longo dos anos por aqueles lados desde então, muitos amigo(a)s olharam o outro lado da margem, muitas gargalhadas foram soltas naquele lado da margem, muitas conversas se teve por ali. Conversas que em nenhum consultório se conseguiria abordar. E ele ali imóvel, de madeira, ferro e pedra, sempre presente, por muito simples que fosse.

Sou defensor de que tudo na vida faz parte, tentando sempre encarar de uma forma positiva aquilo que se viveu, que nos fez ser como somos. Por isso mesmo quando as “recordações” desvanecem, o que impera é alegria e não tristeza porque são no extremo sinal de algo que já vivi, como se de uma embalagem de imagens e emoções se tratasse, que só eu (e vocês) tive e mais ninguém terá, por mais que eu o queira partilhar.


O pontão pode ter sido desmantelado. Mas na minha mente, sempre estará por lá. Pelo menos até o Alzheimer fazer das suas. :)

Construção Civil

"Há-des me dizer quem é o teu ginecologista…Pra eu lá ir chupar-lhe o dedo.."

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Injustiça

A Associação de Telespectadores reprovou a manutenção do concurso O Preço Certo, considerado pela ATV "uma nulidade do ponto de vista formativo, informativo ou de entretenimento".

É por isso que não perco um.

Afilhado

É oficial. Sou, desde o passado sábado, Padrinho do meu Afilhado, o Martim e sou um homem Feliz.

Foi uma cerimónia lindíssima, com excepção da parte em que o Sr. Padre me quis roubar o protagonismo, ficando mesmo ao meu lado enquanto eu lia as escrituras. Mais tarde, soube que o posicionamento estratégico do Padre era uma medida de segurança para o caso de eu me entusiasmar e continuar com a missa.

As responsabilidades enquanto padrinho são mais que religiosas. Pessoalmente, as minhas responsabilidades com o Martim a nível da fé cristã terão terminado aquando da assinatura do papel que oficializa a cerimónia. Acho que seria hipócrita da minha parte agir de uma outra forma.

Todavia, julgo que ser Padrinho é muito mais que isso… sinto uma alegria tremenda em saber que os pais do Martim me confiaram um papel tão importante na vida dele.

Somos família agora!

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Questões

Deveriam os médicos ter uma posição de relevo na legislação sobre a Eutanásia? Deverá o Juramento de Hipócrates ter ressalvas? Até que ponto é legítimo a Lei/Estado interferir na vontade de um ser humano? Deverá Eutanásia ser sinónimo de suicídio? (pessoalmente acho que não, porque senão teremos que considerar que masturbação é o mesmo que ter uma relação sexual, quando sabemos que na verdade são coisas bem distintas).

Ora, se a constituição diz que Portugal é uma República soberana, baseada na dignidade da pessoa humana e na vontade popular e empenhada na construção de uma sociedade livre, justa e solidária, parece-me bastante claro que devemos ter a possibilidade de conferir essa dignidade às pessoas, tanto na vida como na Morte.

Bem sei que existem actualmente serviços paliativos que podem possibilitar uma melhor qualidade de vida do doente terminal, mas e se for da vontade do doente, optar por terminar com a sua vida?

As necessidades de um doente em estado terminal, muitas vezes isolado pela sociedade, aumentam as carências no que respeita a cuidados de conforto que promovam a qualidade de vida física, intelectual e emocional sem descurar a vertente familiar e social.

Deveremos continuar incentivar à decadência física e psíquica desse mesmo doente quando a sua vontade, ou dos seus familiares é por cobro ao sofrimento?

São apenas algumas (das muitas) questões que me vou perguntando…

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Sorrisos

Já se imaginou a morar no centésimo nonagésimo oitavo andar de um edifício de duzentos andares e não ter elevador?

Já se imaginou a viver na Ilha da Armona, trabalhar em Olhão e ter que ir a nado (obrigatoriamente, por não haver barco) para o emprego?

Já se imaginou ter que andar 10km até ao WC mais próximo, para ir urinar depois de ter bebido dois litros de cerveja?

Cálculo que não, porque são exemplos que roçam o absurdo…mas principalmente porque temos meios e acessos que nos permitem ultrapassar estas pequenas barreiras do nosso quotidiano.

Os acessos para deficientes em Portugal são…deficientes. Cinemas, Centros de Saúde, Tribunais, Repartições de Finanças, Bares, Discotecas, etc., não estão minimamente preparados para servir pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Algumas estações de metro, para um deficiente motor, mais se assemelham a escarpas montanhosas de impossível acesso que nem o Homem-Aranha se atreveria a escalar.

Não me recordo de ter ido a uma discoteca com acessos para deficientes. Talvez julguem que alguém numa cadeira de rodas não possa ouvir música, dançar ou até mesmo receber uma table dance.

Penso que o Estado tem um papel (que tem sido desempenhado de forma deficiente) preponderante na criação de acessos para deficientes. Desta lacuna, nascem empresas apostadas em proporcionar uma vida melhor a estas pessoas.

É o caso da SpeacialCare. Uma empresa vocacionada para servir pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Abarcam diversas áreas como: Acessibilidade; Posicionamento e Mobilidade.

Consultem o site, divulguem a informação, contactem a empresa se houver necessidade. O lema deles é: “Nada se compara a um sorriso”. E nós gostamos de sorrir.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Inglês Para Principiantes

Nunca a língua de Shakespeare foi tão maltratada...

Ai Anderson Anderson, a qualidade do teu inglês é inversamente proporcional à qualidade do teu futebol...

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Acorda Valter!

A falta de timming é das características mais enervantes que o ser humano pode ter. Proporcionam situações de tal maneira embaraçosas que na maioria das vezes nem sabemos como reagir. Por outro lado, essa mesma falta de timing pode transformar-se numa particularidade hilariante, cómica mesmo.

Exemplos de falta de timming: contar uma anedota num velório, gritar morte aos lampiões no meio da claque dos No Name Boys ou simplesmente um membro do Governo elaborar um projecto que visa pôr professores reformados a apoiar as salas de estudo ou bibliotecas, a trabalhar na construção de materiais didácticos, nas visitas de estudo ou nos centros de recursos educativos das escolas, num regime de voluntariado.

Ora bem, ao que me parece o Sr. Secretario de Estado Valter Lemos (a mente brilhante por detrás deste projecto) ou vive debaixo de uma pedra ou tem uma capacidade inata de proferir disparates no momento menos oportuno. Se calhar anda distraído e não reparou que existe um diferendo por resolver entre Ministério da Educação e Docentes, para não falar nos milhares de professores que se reformaram com penalizações e em total desacordo com o Governo.

É como levar um frango assado para um pic nic, sabendo que todo o pessoal é vegetariano.


Óh Sô Valter Lemos, não acha que poderia ter aproveitado melhor o tempo que gastou a elaborar o projecto, nalguma coisa realmente válida?

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Triste Cuba

A viagem a Cuba acabou por se tornar numa decepção.

Havana é uma cidade linda e romântica, com a mística de outros tempos mas completamente destruída. Ficámos no histórico Hotel Nacional, onde tivemos a oportunidade de assistir a um concerto de uma banda onde figuravam os dois filhos de Compay Segundo, ícone da música cubana e membro do Buena Vista Social Club. Foi o momento mais alto da viagem e ocorreu na primeira noite.

Basicamente, o que retive desta viagem é que apesar do governo Cubano providenciar Saúde e Educação ao seu povo há um sentimento de revolta e resignação latente. O simples facto de falar contra o governo garante 25 anos de prisão. O ordenado ronda os 15 € e uma embalagem de um qualquer dentífrico custa 2,5€. Uma hora de acesso à internet custa aproximadamente 10 €. Os preços são exorbitantes. Existe uma moeda específica para turistas (que são literalmente roubados com os elevados preços).

Muitos jovens querem uma vida melhor, mas a impossibilidade de viajar limita-lhes os horizontes e os sonhos. Os corajosos, arriscam uma viagem de seis dias (num qualquer barco improvisado) até Miami.

Como pode um homem/regime limitar a vida e os sonhos de tanta gente?

Não cheguei a qualquer conclusão…Apenas fiquei triste…