quinta-feira, 2 de julho de 2009

Crónica de uma morte anunciada.

Programado para ser uma estrela, perdeu a infância, a adolescência e em adulto acabou por perder o juízo O síndroma de Peter Pan e a sua fortuna permitiram-lhe reviver a infância perdida.

Michael Jackson morreu aos 50 anos. Desenganem-se aqueles que pensam que a Pop continuará igual. É impossível. O seu talento estava num patamar inatingível Os números da sua carreira espelham a genialidade das suas performances, músicas, coreografias.

Quem nunca fez o Moonwalker? Ou pelo menos tentou fazer. Eu tentei fazer o MoonWlaker, no entanto, inadvertidamente criei um novo passo de dança…Baptizei-o de BrickWalker devido às duas plataformas estanques a que chamo pés.

Não me quero comparar ao Michael Jackson, se bem que em tempos (remotos) as nossas semelhanças eram mais acentuadas, porém ele tratou de “clarificar” essas mesmas similaridades e também porque quando ele tinha um espasmo dançava muito melhor do que eu.

Era fabuloso. Espero que o que fique deste grande artista seja a sua qualidade enquanto músico e entertainer e não as suas loucuras e alegadas perversões de que foi acusado. Mas esse exercício deve ser feito por nós, os apreciadores de música, pois ele era único.

Errare humanum est.
Descansa em paz.

3 comentários:

TuniKKa disse...

Assino por baixo!!!

Anónimo disse...

R.I.P.
Rest in Pain

www.a-bracadaver.blogspot.com

caracois disse...

nao podia estar mais de acordo!
(sou eu, a Laura ;P)