segunda-feira, 28 de maio de 2007

Feira de Maio - Perigo de Capotamento



Mais uma Feira de Maio que passou. Dois dias bebidos de forma bastante intensa. Mas estas ocasiões servem sempre para revermos muitas pessoas, que por este ou aquele motivo não víamos há algum tempo. Queria aproveitar para dizer que adorei rever os Primos dos pais do Ruivo, um casal bem disposto e que tem uma filha que é uma delícia e com grandes dotes para o Ilusionismo, a Professora de Matemática que vive em Pecado com o Agente da Autoridade e a Criança que Quase não sobrevivia à Infancia.

Porém, é preciso ter muito cuidado, pois o perigo de capotar na Feira de Maio é eminente, que o diga a Alice da Queda Maravilha, que ao final da noite “desequilibrou-se” acabando por capotar, sendo posteriormente vítima de Mosh, por um elemento da Frente de Libertação do Palheirão, grupo já referenciado anteriormente (ler post Apocalipse Now).
Contudo e fazendo minhas as suas palavras:

“Uma senhora não cai, desequilibra-se.”

No Arribar, bar onde trabalho aos fins-de-semana, esteve-se muito bem. Havia muito boas vibrações e declarações de amizade, típicas do estado de ebriedade, mas que reforçam amizades e aproximam as pessoas.

E assim se passou mais uma Feira.
Capotamento:
Acidente em que o veículo gira em torno de si mesmo em qualquer sentido, chegando a tocar o teto no solo, imobilizando-se em qualquer posição.

6 comentários:

David disse...

Foram duas noites em GRANDE!

Sendo que a segunda foi, para mim, grande demais... apanhei uma das antigas! Felizmente só tomou essa proporção já no final da noite.

sergei disse...

Pois, ainda há valentes, hehe, assim fica o bom nome do team limpo, não há cá vacilos.

Eu (desconfio que devido a um shot canhão do Wonderbro Alcides) capotei na primeira noite, já no final e quando o dia raiava mas nada como mudar 300 móveis no dia a seguir para curar... :S

Resultado, na segunda noite estava em piloto automático (por isso é que estava mais desligado, sem aquela pica habitual, hehe) com a vergonhosa garrafa de água na mão (sim, na feira/festa Moita é mesmo vergonhoso) e numa prova de esforço aguentei o máximo que pude no Arribar (que estava o verdadeiro Planeta do Bom Feeling), até a pestana e corpo soarem o alarme... a melhor solução foi sair de fininho...

Eu depois conto-vos uma história na Festa da Moita...


Valeu manos&sisters


Abração, S do P do ock

TC disse...

Passar duas noites bêbado é mesmo valente, mas, o que dizer de mentir de forma descarada para nos baldarmos a compromissos que assumimos perante os outros? Isso então deverá ser verdadeiramente extraordinário.
Coisas simples...

filipa disse...

Tb gostei muito de te ver, a ti à tua bicha e ao grupinho do costume! Tava a precisar de uma saída à bons velhos tempos!
Beijinhos!

TT disse...

Aristidessss!!!!
A culpa foi do gajo giro que estava no bar. Só percebia a parte da vodka e esquecia-se o redbull.

Foi só desiquilibrios

Miga tás cá dentro!!!

TT disse...
Este comentário foi removido pelo autor.