quarta-feira, 16 de maio de 2007

Enola Gay

Sou um apreciador de cinema. No entanto, desde há alguns anos a esta parte deixei de ir ao cinema ver as mega produções hollywoodescas (agora só as papo nas tardes modorrentas de Inverno). Mas talvez o motivo que me tenha feita renunciar Hollywood, foi o facto de se terem sobreposto aos grandes ícones do cinema mundial, como: “Trinitá, o Cowboy Insolente”; "Continuaram a chamar-me Trinitá" ; “João Broncas o Avançado Fura Redes” e toda a filmografia do Bud Spencer bem como do Russ Meyers (os filmes são absolutamente vazios, mas com bons planos de Seios).

Num jantar, em casa da professora de Matemática que vive em pecado com o Agente da Autoridade, na companhia dos Pais do Ruivo discutíamos cinema. Falámos um pouco de tudo, mas a a discussão ficou realmente hilariante quando abordamos um filme que retrata o Bombardeamento Americano à ilha de Hiroshima. Não menciono o nome do filme porque nessa noite ninguém conseguiu faze-lo e não quero estar aqui a armar-me em Erudito.

Mas talvez o motivo de tal dislexia colectiva tenha sido o facto de termos sido os causadores de uma ruptura do stock de Moscatel, existente tanto na casa da Sr.ª Professora que vive em pecado com o Agente da Autoridade, como dos Pais do Ruivo.

No entanto, aqui ficam alguns exemplos de algumas tentativas de pronunciar o título do filme:

Pêralbur
Pralbulr
Parlhabur
Palhalbul

Pearlhabul

No fim, decidimos-nos por: ou fazer um gesto com braço, numa alusão a um avião ou referimo-nos ao filme como: “Aquele-filme-que-conta-a-história-da-bomba-atómica-que-rebenta-em Hiroshima.”

5 comentários:

Anónimo disse...

Já cá faltava o filme Pearl Harbor (espero que esteja bem escrito)

Já me tinha lembrado de escrever quando soube que tinhas comprado uma prancha de surf - para quem em Vendas Novas desafiou as leis da fisica para não ser atirado para a piscina andas muito afoito-

AGora esta do filme é que não posso deixar passar em branco

Beijos
N.

Alcides disse...

Pois é..ainda tenho que contar esse filme..foi linda essa noite..terminou com um repuxo de uma senhora da Direcção Geral de Finanças...:-)..

Lila disse...

O Vasco, desculpa, o ruivo, ia nascendo nessa noite de eu tanto rir com a vossa figura a tentar pronunciar o nome do filme.

;-)
Bjs

filipa disse...

E eu quase que ia à casinha de tanto rir (que é o mesmo que ir à casa-de-banho fazer xixi, mas dito por tias de Cascais)! O que já é habitual... mas nessa noite foi mais ainda! Temos de repetir! Fica aqui o convite! Qd o agente da autoridade chegar, marcamos um jantar!
Beijinhos!

Alcides disse...

O blog já está a dar lucro..jantar à borla??ACEITO...