segunda-feira, 30 de junho de 2008

Infrafishes

Há sons que nos deixam em estados múltiplos, sem uma verdadeira necessidade de os tentar explicar, que nos levam, que nos trazem, que fazem a viagem toda por nós deixando-nos sem explicação para o que connosco sucede.

Agora percebo aquilo que me diziam de olhos atordoados, mas estranhamente embalados e serenos. Lembrei-me das várias teorias e rumores secretos acerca dos infrasons, entre eles da sua capacidade de viciar.

Talvez seja um plano arquitectado para nos viciar e posteriormente controlar, cujo tentáculo se estendeu através do post revelador do mano Alcides.

Mas eu não me importo. Gosto de estar no bottom of the sea.

2 comentários:

Alcides disse...

Também não me importo de estar como que hipnotizado..É bom sentirmo-nos assim..e a música (em geral) tem esta particularidade...Assim tb afirmo: Gosto de estar no Bottom of the Sea.
Citando Gilberto Gil: "(...)Aquele Abraço."

Joana disse...

Quem é que não gosta?
Beijo grande!