quinta-feira, 6 de março de 2008

Reciclar é Preciso

A reciclagem é o termo genericamente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. Porém pode também designar, metaforicamente falando, uma forma das pessoas começarem a repensar os seus comportamentos sociais. Por vezes esses novos pensamentos têm que ser interiorizados de uma forma mais directa.

Passou-se com o meu irmão…Numa ida às compras, após recolher os produtos da sua extensa lista de compras - na qual se incluem uma panóplia de cremes que fazem com que a sua verdadeira idade se traduza num número superior a 20 e inferior a 22, quando na realidade esse número é ligeiramente superior - o meu irmão dirige-se à caixa para realizar o pagamento.

Porém e apesar da aparência juvenil e inocente do meu irmão, existem dois pequenos pormenores que aos olhos de um diligente colaborador da Lidl saltam à vista, aliás são motivos de alerta: a pigmentação da pele e uma bolsa à tira-colo. Basta ter a epiderme um pouco mais escura e um qualquer acessório de moda para acondicionamento de documentação e afins, para que o estatuto de cidadão cumpridor das suas obrigações, seja convertido em presumivel larápio.

Chegado à Caixa, o meu irmão aguarda a sua vez, pacientemente. À sua frente tem duas senhoras caucasianas que também elas traziam acessórios de moda, vulgo malas, que pagam e vão às suas vidas. Segue-se o meu irmão. Antes da Adjunta de Loja começar a passar os códigos de barra das compras do meu irmão, baliu a seguinte questão: “Importa-se que veja a sua mala?” Ao que o meu irmão anuiu.

Inicialmente, a questão não teve o impacto que mais tarde viria a ter e foi preciso o meu irmão percorrer a distância exacta de 854 metros, para lhe dar a devida importancia. A epifania deu-se na rotunda da BP, na Moita. Contornou a rotunda e voltou à loja.

“A senhora conhece-me de onde para me pedir para lhe mostrar a mala? Pareço-lhe com algum ladrão?” interpela o meu irmão sem contemplações. A funcionária tenta justificar-se com “os procedimentos”. O meu irmão riposta, salientando que não a tinha visto pedir para que as senhoras que se encontravam à sua frente abrissem as suas malas.

E num gesto digno de uma repetição em câmara-lenta (com direito ao R a piscar no canto superior direito da TV), pega nas extremidades inferiores do saco que continha as compras, vira-o, deixando os produtos desamparados em cima do tapete rolante, pede para chamar a gerencia e que lhe seja restituído o seu dinheiro. A funcionária tremia que nem varas verdes. Por entre desculpas, é-lhe devolvido todo o dinheiro das compras, incluindo o valor do saco de plástico, que para todos os efeitos informo que custa 0.03€.

Foi poupado um saco de plástico e reciclados alguns pensamentos mais culpabilizadores por parte de uma trabalhadora que estava bastante habituada a colocar rótulos em produtos…e em pessoas.

6 comentários:

Anónimo disse...

GRANDE Lino!
Só é pena que às vezes a "ficha demore a cair", mas nem que já estivesse em casa, justificava-se a deslocação para fazer o que fez!!
É de homem, sim senhor!

Two thumbs UP!

Ass: Starg@zer

Filipa disse...

Assim mesmo! Nem mais!
Ainda foste muito a tempo!
Beijocas!

Anónimo disse...

Todos os LINO'S desta sociedade deviam ter a tua atitude, mas...
Nem os LINO'S nem a Sociedade esta preparada, dai a urgência da RECICLAGEM

Ass: Aguilar

Sergei disse...

Só não sei em que contentor é que punha a Sra., acho que a mandava pró "pilão"...

Uma palavra que cala, Atitude, ao mais belo nivel do Master Lino. ;)


Two thumbs up, apoiado. :)

Anónimo disse...

Lindo...não conheço o Lino, mas se fôr igual ao Estrela (Alcides), então são uma dupla imbatível.

Ass:Grande atitude

Cláudia disse...

Uma atitude de se lhe tirar o chapéu, muito bem...