sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

13:30h

Muitos são os fumadores que contestam veementemente a nova Lei do Tabaco. Dizem que é uma Lei que os marginaliza. Porém, esta Lei tem tanto de marginalizadora como de casamenteira.

Não sei se têm reparado, mas as entradas dos edifícios onde estão sedeadas empresas e escritórios estão atolados de gente a consumir nicotina desenfreadamente, aproveitando os 15 minutos – entenda-se 15 cigarros – de pausa concedidos pelas suas entidades patronais para matar o vício.

Posto isto, questiono-me: o que vai acontecer ao fumador tímido, inseguro e acanhado, que o que mais queria era que não o chateassem e o deixassem consumir o seu maço de SG Gigante, sem perguntas, nem conversas triviais sobre o tempo, que pensa apenas em chegar a casa e descobrir como passar o próximo nível do Call of Duty? Eu respondo: vai ter que conviver com a boazona do Departamento de Marketing da empresa onde trabalha, pois a gaja fuma que se farta e gosta de uma boa conversa.

Esta Lei vai ajudar muito boa gente a desencalhar, arranjar engates, namoros e quem sabe casamentos.

A percentagem de fumadores vai aumentar substancialmente, pois todas aquelas pessoas menos dotadas física ou intelectualmente, de certeza que num quarteirão mais próximo ou mais longínquo, encontrarão (certamente) à entrada de qualquer prédio a sua cara-metade, porque passarão a fumar.

O dia de São Valentim e as Noivas de Santo António passarão a ser comemorados ao dia 1 de Janeiro (data a implementação da Lei). Santo António deixará de ter o bebé ao colo e passará a exibir um Puro...

Idas à discoteca e bares? Internet, hi5’s e afins? Qual quê! Casanova que se preze, já não sai à noite…A melhor hora para o engate passou a ser uma e meia da tarde.

1 comentário:

Venceslau Tiago disse...

Lol! Ya, já estou a ver! Estamos na mesma Wavelength de pensamento! Cool! - Venceslau Tiago