terça-feira, 21 de outubro de 2008

Lições

O êxodo rural é o termo que designa o abandono do campo pelos seus habitantes, que, em busca de melhores condições de vida, se transferem das regiões consideradas de menos condições de sustentabilidade para outras, podendo ocorrer de áreas rurais para centros urbanos e no caso particular deste meu amigo a migração deu-se da Quinta da Fonte da Prata para o Bairro de São Bento.

Desde sempre residente na periferia de um centro urbano (a Moita), este meu amigo, que iremos chamar de Sízar, cedo se confrontou com as dificuldades da vivência nos arredores.

A inexistência de uma Farmácia na sua área de residência, fez com que passasse os Invernos com ranho no nariz. Pela escassez de meios de transportes que o levassem para o centro urbano, as simples constipações invariavelmente transformavam-se em gripes. Todavia e mesmo que houvesse uma farmácia, visto que na sua área de residência não existir uma Caixa Multibanco, o ranho subsistia.

Sízar cresceu obcecado pela vida nos grandes centros. Era habitual vê-lo a atravessar um caminho normalmente utilizado pelos rebanhos de cabras para ir para se misturar com o que ele ambicionava ser: um Moitense.

A sua ascensão na pirâmide social é notável. Alguns anos depois abriu um estabelecimento nocturno na Moita que só teve o devido reconhecimento depois de um admirável habitante do centro urbano, (a que chamaremos Arístides) acordar em disponibilizar os seus préstimos para que o bar se desenvolvesse.

A sua ambição não parou de crescer, o que lhe fez com que a escalada social continuasse a progredir. Muda-se para São Bento, no centro de Lisboa, frequenta os sítios mais in, e quando lhe perguntam de onde é, nunca esquece as suas raízes…Responde sempre altivamente:

- Sou de São Bento!

Esta é uma lição para os miúdos…

3 comentários:

Anónimo disse...

Lindo!!!
Estás, portanto, perto das vozes do Parlamento, dos nossos ilustres representantes?! Ora, pois, os quandos vires, afinfa-lhes um valente puxão de orelhas!!:))
Beijocas amigo.
Bubu

Cláudia disse...

Hoje cada vez mais as pessoas esquecem as suas raízes, por não quererem lembrar do que passaram ou simplesmente porque alcançaram o que tanto desejavam... Mas será que no final serão felizes??
Não é o passar uma borracha no que vivemos, que a nossa memória não nos irá trair um dia...
São essas vivências que nos tornam fortes e nos dão força para crescer,lutar e alcançar uma vida melhor...E no dia que nos perguntarem de onde somos, não ter vergonha de dizer...

Sergei disse...

Bem, ainda pra mais hoje em dia com programas tipo "Momento da verdade" tava logo tudo estragado...

:P