quarta-feira, 20 de agosto de 2008

'Tááárde...As Bóóólas...Vuuulva

De regresso à realidade laboral, após 15 dias de remanso deliberado levei algum tempo até conseguir habituar-me à ideia que lamentavelmente tenho que trabalhar para poder ter férias. As férias foram repletas de gargalhadas (muitas mesmo), pão, óptimos jantares e no meu caso particular, alguns acidentes (fui escalpado pela janela de uma Roulote, deixei metade do dedo grande do pé direito num passeio de Aljezur, enquanto procurava massa folhada, levei com a Maria Vinagre no sobrolho), ainda assim sobrevivi.

1
Estas férias ficaram também marcadas pela eloquência do Míudo Ruivo e pela capacidade absolutamente fantástica da criança absorver conceitos desprovidos de sentido e conteúdo inteligível, reflexo da audição das conversas dos adultos que o rodeavam. Para terem uma ideia, o Miúdo Ruivo não dizia “Bom Dia”, como as crianças normais. A sua saudação matinal era: ’Tááárde…As Bóóólasss…Vuuulva!
2 O início das férias teve lugar no Parque de Campismo do Sitava com a família mais (des)Funcional que conheço e por quem tenho um apreço interminável. Na ressaca do incidente na Quinta da Fonte, as semelhanças com uma família de ciganos nómadas eram por demais evidentes com esta família em cada viagem até à praia dos Aivados, tal era o aparato e a quantidade de acessórios de praia que carregavam. Entre os acessórios, podíamos encontrar uma prancha de surf, concebida talvez por Fernão Magalhães mesmo antes de ter chegado ao Rio de Janeiro, durante o sec. XVI. Mas flutuava…
3
Os dias que seguiram foram passados na Costa Vicentina, no Rogil. Com excepção do sistema de atendimento da Padaria do Rogil, que prevê que apenas um funcionário tenha acesso à caixa registadora e que os restantes, melhor dizendo, o restante funcionário dê conta dos pedidos dos clientes, gerando invariavelmente uma fila até à porta, a existência no Rogil foi pacífica.

Com o senhor Engenheiro e a sua noiva, as coisas correram como previstas, de forma perfeita. Aliás todos os dias, antes de nos deitar certificávamo-nos que tudo tinha corrido na perfeição, através de uma tabela feita em Excel onde marcávamos as coisas que tinham corrido de forma perfeita (a verde) e as coisas que tinham corrido bem (a azul). Foi também no Rogil, que descobrimos que a noiva do Sr. Engenheiro tem dotes que a podiam garantir um lugar num daqueles circos que denominavam de Freak Show, pois faz coisas sem paralelo com os dedos dos pés.

4

Mas como o tempo passa depressa, não nos resta nada mais que relembrar com muita saudade as férias do verão de 2008.

Breve Legenda:

Imagem 1 - Pedaço da minha cabeça na Janela da Roulote
Imagem 2 - Miudo Ruiva saúda os presentes com a fomosa frase: ’Tááárde…As Bóóólasss…Vuuulva!
Imagem 3 - " A Familia"
Imagem 4 - Hang Loose (Foot Version)

3 comentários:

Duarte disse...

lol!
Olha que a ideia do Excel, não é nada má... :P Sempre podiamos colocar o atendimento da Padaria e os passseios, que teimam em fazer-te tropeçar, a Amarelo! :) De um ano para o outro podiamos cruzar os dados e usar essa informação para preparar as férias do ano seguinte... heheheh

Belas férias!

Grande Abraço!

catarina disse...

Que maravilha :D

Enfim...de volta à realidade só nos resta trabalhar muito para garantir que pelo menos uma vez no ano (Verão no Rogil lol) seja possivel assegurar estas férias simplesmente maravilhosas...e também as noitadas, os concertos....os fins de semana aqui e ali...ups, afinal é muita coisa :P

É tudo isto que nos une ao longo do ano e que me faz volta e meia ficar a relembrar de sorriso de orelha a orelha!

Beijooooooooooooo

catarina disse...

E VIVA AO LIXINHO DAS FÉRIASSSSSSSSSS :D

"estou muito suzinha :P" ahahaha :D